TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
25 e 15 anos

Irmãos são condenados por feminicídio e ocultação de cadáver de jovem na PB

O júri popular decidiu pela condenação total dos réus, cujos crimes foram meticulosamente analisados

Por Carlos Rocha Publicado em
Jamille
O júri popular decidiu pela condenação total dos réus, cujos crimes foram meticulosamente analisados

Na noite desta terça-feira, 16 de maio, o desfecho do julgamento dos irmãos Carlos Antônio da Silva e Sérgio Francisco da Silva, acusados pelo assassinato de Luydiana Jamelle Miranda Barreto, de 27 anos, chocou a cidade de Pedras de Fogo, Paraíba. O júri popular decidiu pela condenação total dos réus, cujos crimes foram meticulosamente analisados.

O veredicto final estabeleceu Sérgio Francisco da Silva como culpado por homicídio quadruplamente qualificado e ocultação de cadáver, resultando em uma pena de 25 anos de prisão. Seu irmão, Carlos Antônio da Silva, conhecido como Caio, foi condenado por homicídio duplamente qualificado e ocultação de cadáver, recebendo uma sentença de 15 anos de prisão.

Os irmãos foram julgados pelo assassinato de Luydiana Jamelle em outubro do ano anterior. Sérgio era companheiro de Luydiana , e juntamente com Carlos, agrediram a vítima até a morte, escondendo o corpo em uma cama de cimento dentro de sua própria casa. A descoberta do cadáver, após intensa busca da polícia e dos peritos, trouxe à tona o horror desse crime.

Em um país onde o debate sobre a efetividade do sistema judiciário é constante, a condenação dos irmãos traz alívio para alguns, mas levanta questionamentos sobre a adequação das penas. Enquanto a mãe de Luydiana expressou sua satisfação com o veredicto, ressaltando que "a justiça foi feita", críticos argumentam que as penas não refletem adequadamente a gravidade dos crimes, evidenciando lacunas no sistema penal.



Relacionadas