TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
proibição da Anvisa

Seguindo norma nacional, Paraíba proíbe venda de álcool 70% a partir de 30 de abril

A utilização fica restrita aos serviços de assistência à saúde, como hospitais e laboratórios

Por Redação Publicado em
Álcool 70% proibido no Brasil
A utilização fica restrita aos serviços de assistência à saúde, como hospitais e laboratórios, (Foto: Agência Brasil)

A partir do dia 30 de abril, a livre comercialização do álcool 70% passará a ser proibida na Paraíba. A utilização fica restrita aos serviços de assistência à saúde, como hospitais e laboratórios, é o que afirma a Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB).

A nova norma proíbe a venda do produto na forma liquida em todo o país. A partir desta data, os consumidores brasileiros que desejarem continuar utilizando o álcool a 70% como meio de prevenção à Covid-19 e outras doenças transmissíveis a partir do contato das mãos com os ambientes terão à disposição a forma física em gel, lenço impregnado e aerossol.

Sobre o assunto, o diretor-geral da Agência Estadual de Vigilância Sanitária (Agevisa/PB), Geraldo Moreira de Menezes, tirou algumas dúvidas mais recorrentes.

  • O porquê desta proibição

A venda do álcool a 70%, na forma líquida, já é proibida no Brasil há mais de 20 anos. Em 20 de fevereiro de 2002, a Anvisa publicou a Resolução de Diretoria Colegiada nº 46 aprovando o Regulamento Técnico para o álcool etílico hidratado, em todas as graduações, e para o álcool etílico anidro, comercializado por atacadistas e varejistas.

  • Por que, durante a pandemia, a forma física líquida do álcool a 70% foi liberada para venda ao público em geral?

Devido à gravidade da pandemia da Covid-19, e diante da necessidade das mais variadas estratégias de combate ao coronavírus, a Anvisa decidiu pela liberação da venda livre e da doação do álcool etílico na concentração de 70% p/p (setenta por cento, expresso em peso por peso), na forma física líquida, porque este produto possui ação contra bactérias na forma vegetativa, vírus envelopados (o H1N1 e coronavírus, por exemplo), microbactérias e fungos, sendo utilizado como desinfetante e antisséptico.

  • Se o álcool a 70º é tão eficiente na prevenção de infecções respiratórias causadas por vírus como o da Covid-19 e outros igualmente perigosos, por que não manter liberada a venda livre?

Uma das principais razões da proibição da venda livre do álcool a 70%, na forma líquida, está relacionada ao fato de o produto ser altamente inflamável e oferecer riscos à saúde pública em razão de acidentes por queimaduras ou pela ingestão, destacando-se entre as vítimas especialmente crianças.



Relacionadas