TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
Irregularidades no Laureano

Pessoas com câncer devem preencher formulário para fila de espera na PB; saiba como

Formulário para fila de espera é destinadas a pacientes que aguardam início de tratamento contra o câncer

Por Redação Publicado em
Hospital laureano
Investigações apontam irregularidades no atendimento aos pacientes em tratamento contra o câncer (Foto: Reprodução/Hospital Napoleão Laureano)

Pessoas diagnosticadas com câncer e que aguardam o início do tratamento na Paraíba devem preencher um formulário para entrar na fila de espera do Hospital Napoleão Laureano (HNL), único centro de assistência de alta complexidade em oncologia no estado. A medida foi estabelecida para mapear a demanda reprimida da unidade, que é investigada por irregularidades na gestão e na prestação de serviços.

O formulário deve ser preenchido por meio da internet. Os dados serão encaminhados à Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa, que deve assumir o controle da regulação de todos os procedimentos relativos à assistência oncológica na rede estadual após recomendações dos ministérios públicos Federal (MPF) e da Paraíba (MPPB).

Irregularidades

Após investigações, o Ministério Público Federal (MPF), o Ministério Público da Paraíba (MPPB) e outros órgãos públicos (Conselhos Regionais de Medicina, Contabilidade e Administração, Denasus, CGU e TCU) revelaram irregularidades na gestão da Fundação Napoleão Laureano (FNL), instituição filantrópica mantenedora do HNL.

“Nós constatamos situações desesperadoras de pacientes, inclusive urgentes, sem sequer uma marcação de consulta, atrasos enormes na marcação do início do tratamento dessas pessoas”, afirmou o procurador da República José Guilherme Ferraz.

Ainda segundo o procurador, foi detectado pelos Ministérios Públicos a ausência de uma regulação integral dos atendimentos e procedimentos. "O que estava acontecendo era uma desorganização na recepção dos pacientes, sem que houvesse controle no próprio hospital da demanda reprimida e nem tampouco do tempo de atendimento, tempo de espera pelo início do atendimento e do tratamento desses pacientes”, completou José Guilherme Ferraz.

Leia aqui, na íntegra, a recomendação do MPF e do MPPB sobre os atendimentos do HNL



Relacionadas