quinta-feira, 28 de maio de 2020
Busca

Paraíba

Paraíba

Prefeitura de cidade paraibana distribui 'Kit Covid-19', com cloroquina e azitromicina

O kit traz, entre outros medicamentos, Cloroquina 150 mg, Azitromicina 500 Mg, Ivermectina 6 Mg e Dipirona 500 mg

Por Carlos Rocha

13h00 - Atualizado 19/05/2020 às 13h01
Foto: Reprodução/Folha Patoense

A prefeitura da cidade de São Mamede, na Paraíba, passou a distribuir kits para combater o coronavírus. A polêmica é que entre os ítens está a hidroxicloroquina e a azitromicina. Apesar de dividir opiniões, o prefeito Umberto Jefferson (DEM) diz que vai distribuir medicamentos para o combate à doença em kits que estão sendo entregues à população, mas a medicação vai mediante prescrição médica.

Segundo o prefeito essa distribuição não é de maneira deliberada, mas não pode deixar de oferecer essa opção de tratamento à população. O kit traz, entre outros medicamentos, Cloroquina 150 mg, Azitromicina 500 Mg, Ivermectina 6 Mg e Dipirona 500 mg.

Cantora Lydia Moisés radicaliza visual e choca ao surgir nas redes sociais; veja

"Começamos a pensar medidas que pudéssemos minimizar os casos graves que porventura viriam acontecer e, pensando nisso, também seguindo os protocolos em vigência no nosso estado e no Brasil. Disponibilizamos para prescrição médica opções de tratamento, opções de medicamentos, que porventura esses médicos venham a prescrever para esses pacientes reagentes. Isso quer dizer que o kit de São Mamede não é único, ele é individualizado a partir de cada prescrição médica e de cada conduta terapêutica", disse.

Blogueiras furam quarentena para passar fim de semana com Neymar, apontam internautas

O prefeito informou que na cidade tem quatro casos confirmados e que, nesta segunda-feira (19), primeiro dia de distribuição dos kits, foram entregues oito no total e que nenhum deles havia cloroquina. Umberto Jefferson falou ainda que a medida da prefeitura foi reunir todos os protocolos existentes no Brasil, que falam do tratamento da doença, para disponibilizar para quem tiver a doença na cidade.

"A gente tem duas correntes no Brasil e acaba gerando uma discussão em torno da utilização ou não dá hidroxicloroquina. Quero dizer que a utilização dela especificamente dependerá da prescrição médica e da assinatura de um termo de consentimento do paciente. Até agora os kits que foram distribuídos no município, nenhum constava a hidroxicloroquina, mas a gente não pode deixar de dar essa opção àqueles que porventura venham precisar e estejam de acordo com sua utilização", finalizou.

Leia também: Blogueira Maryana Escobar perde bebê que esperava do YouTuber Biel; veja

Siga o Instagram Facebook do Portal T5 e fique bem informado! 

Adicione o WhatsApp do Portal T5: (83) 9 9142-9330.