terça-feira, 18 de fevereiro de 2020
Busca

Paraíba

Paraíba

Polícia Federal grava secretária de Wilson Santiago: "Se eu entregar, eu morro"

A investigação apura o suposto pagamento de mais de R$ 1,2 milhão em propinas resultantes do superfaturamento de obras da Paraíba.

Por Redação Portal T5

18h55 - Atualizado 20/01/2020 às 09h23

A secretária parlamentar do deputado federal Wilson Santiago (PTB), Evani Ramalho, foi gravada pela Polícia Federal durante conversa com o empresário George Ramalho na qual afirma ter medo de morrer. A investigação é da Operação Pés de Barro que apura o suposto pagamento de mais de R$ 1,2 milhão em propinas resultantes do superfaturamento de obras da Paraíba. A informação foi divulgada pelo Estadão.

Evani Ramalho é apontada como a ‘gerente de propinas’ do suposto esquema montado pelo deputado e pelo prefeito de Uiranúna, João Bosco Fernandes, também preso após deflagração da Pés de Barro. Segundo a PF, ela tinha ‘autonomia na articulação dos pagamentos de propina’ e George seria o empresário responsável pelo repasse ilícito.

Conforme a reportagem, a secretária afirmou a George que ambos deveriam ter 'cuidado' na ação e que seria obrigada a delatar os políticos que tivessem envolvimento, caso fosse questionada pela polícia.

“Eu tenho muito cuidado com isso. Por quê? Porque esse povo, na (inaudível) que eu estou… Se me pega numa situação dessa e eu digo foi pra fulano e pra sicrano… Tu acha que, pra fazer o mal a mim”.

Ela se refere a Wilson Santiago que foi afastado do mandado em dezembro após decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Celso de Mello, e ao prefeito João Bosco Fernandes.

“Família de Bosco todinha. Eu morro de medo, não vou mentir”, declara Evani.

Confira a transcrição do áudio divulgado pelo Estadão.

Evani: "Eu tenho muito cuidado com isso. Por quê? Porque esse povo, na (inaudível) que eu estou… Se me pega numa situação dessa e eu digo foi pra fulano e pra sicrano… Tu acha que, pra fazer o mal a mim. É o que tem que ter, uma pessoa de confiança. (inaudível) Coração vai na boca".

George: "Eu sofro do coração todo dia".

Evani: "Família de Bosco todinha. Eu morro de medo, não vou mentir… Tá viva não, se puder negócio comigo….Eu acredito pra ele mandar fazer alguma coisa comigo… Eu entregando ele?!"

George: "Se pegar ele vai dormir na cadeia".

Evani: "Se eu entregar eu morro"

George: "Não tem como você não entregar"

Evani:"Por isso que eu tenho medo".

À época, ao Portal T5, a assessoria de Wilson Santiago disse que está à disposição da Justiça para colaborar em todo o processo. "A operação em questão foi baseada na delação do empresário George Ramalho, o qual foi preso em abril de 2019 na Operação Feudo. Segundo as informações preliminares, o delator iniciou no segundo semestre de 2019 a construção de um roteiro, que servisse como base para acordo que lhe favorecesse na operação que foi alvo de prisão. O delator busca a todo momento, construir relações que possam nos implicar de forma pessoal e criminalizar o trabalho parlamentar".

Também por nota, a equipe do prefeito da cidade de Uiraúna, João Bosco Nonato Fernandes afirmou que o gestor "foi surpreendido mas não se absteve em nenhum momento de colaborar com as investigações e cooperar com o Trabalho do Ministério Público Federal".

Leia mais:

Policial Militar de Pernambuco preso na Paraíba é transferido para Abreu e Lima