quarta-feira, 22 de janeiro de 2020
Busca

Paraíba

Paraíba

Conversas registradas pela PF mostram recebimento de propina por motorista de Wilson Santiago

O vídeo com o prefeito João Bosco Nonato Fernandes (PSDB)​ colocando dinheiro na cueca também foi divulgado

Por Redação Portal T5

10h03 - Atualizado 14/01/2020 às 10h09
Foto: Divulgação/Polícia Federal

Foram divulgados nesta terça-feira (14), novos trechos de investigações da Operação Pés de Barro, que apura o repasse de propina e desvio de recursos na construção da Adutora Capivara, no município de Uiraúna, no Sertão da Paraíba.

O vídeo com o prefeito João Bosco Nonato Fernandes (PSDB) colocando dinheiro na cueca e registros de conversas sobre repasses com um servidor da Prefeitura foram publicados pelo jornal O Estado de S. Paulo.

Com um vídeo em um quarto de hotel em Sousa, a Polícia Federal flagrou uma entrega de propina de R$ 25 mil ao gestor do município para depois ser repassado ao deputado federal afastado Wilson Santiago (PTB/PB). As imagens mostram Bosco retirando o dinheiro da sacola e colocando o montante nas 'roupas de baixo' dizendo: 'na cueca, camisa é curta'. Segundo as investigações, a empresa Coenco Construções, responsável pela obra, pagou R$ 1,2 milhão em propinas a Wilson Santiago e R$ 633 mil ao prefeito. 

Foto: Divulgação/PF

No dia seguinte, o motorista do prefeito de Uiraúna, Severino Batista do Nascimento Neto, informou o empresário George Ramalho, pelo Whatsapp, que o motorista de Wilson Santiago ‘foi pegar o dinheiro em sua casa’. O registro foi feito pela PF.

Em nota ao jornal, o advogado do deputado, Luis Henrique Machado, disse que “Trata-se de um delator que ganhou notoriedade na Paraíba por delatar terceiros para não ser preso. Em nenhum momento o delator apresentou provas de que o Deputado Wilson Santiago teria recebido dinheiro ilícito. Tampouco a Polícia Federal apresentou provas que incriminasse o deputado. A ação controlada, as intercepções telefônicas, telemáticas e ambientais não dizem nada a respeito do deputado, somente ilações e conjecturas. Em momento processual oportuno, a defesa apresentará também as suas provas restabelecendo a verdade real dos fatos”.