Paraíba, quarta-feira, 26 de junho de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

João Pessoa recebe Fórum Internacional sobre gestão de resíduos sólidos

O Fórum é realizado na sala de concertos do espaço cultural José Lins do Rego, no bairro do Miramar

Por Carlos Rocha

20h06 - Atualizado 13/06/2019 às 20h29

João Pessoa sedia o 10º Fórum Internacional de Resíduos Sólidos (FIRS), considerado o mais importante evento técnico-científico realizado no Brasil sobre temáticas relacionadas a resíduos sólidos . O evento, que contou com a presença da Marquise Ambiental, começou nesta quarta-feira, dia 12, e segue até esta sexta-feira (14). O Fórum é realizado na sala de concertos do espaço cultural José Lins do Rego, no bairro do Miramar.

O foco do encontro é trazer o que há de inovador no quesito gestão de resíduos sólidos, dentro de uma visão governamental e empresarial, com o propósito de difundir e aprofundar conhecimentos. Visa também abordar as causas da existência dos resíduos sólidos, provocando uma reflexão, que leve a uma consciência das suas consequências para a relação sociedade-natureza, histórica e socialmente construída.

"As pessoas saem com outra visão. Voltam para os seus municípios e instituições com outra perspectiva", disse a coordenadora geral do Fórum, Arlinda Cezar.

A busca de soluções para o gerenciamento adequado dos resíduos sólidos tem se constituído em desafio, tanto para o setor público como para o setor privado. Há preocupação, sobretudo no que concerne à poluição dos recursos hídricos, bem como na compreensão dos mecanismos de biodegradação da massa de rejeito e sua influencia no comportamento dos aterros sanitários e, por extensão, na vida das populações.

Os resíduos depositados em “lixões”, além de emitirem gases do efeito estufa, como apresentado na edição anterior do FIRS, são fontes de poluição das águas subterrâneas e do solo. A decomposição dos resíduos pode se estender por décadas após a sua desativação aumentando o potencial de contaminação dos recursos hídricos. Após os poluentes fazerem parte do sistema de fluxo predominante das águas subterrâneas, seguem pelo lençol freático até atingirem as águas superficiais, produzindo modificações significativas nas espécies aquáticas e na saúde humana.

"É uma tendência não só no Brasil olhar o resíduo como uma matéria prima, seja como produto através da reciclagem ou processo de transformação dentro dos aterros sanitários", ressaltou o diretor de operações da Marquise Ambiental, Paulo Studart.

O evento, sediado na capital paraibana, dá continuidade às discussões sobre o tema iniciadas nas edições anteriores, para difundir e aprofundar conhecimentos sobre resíduos sólidos e para atender a uma demanda das políticas públicas, dos geradores de resíduos, da indústria, da cadeia de gerenciamento de resíduos e dos centros de pesquisa e desenvolvimento de tecnologias ambientais.