Paraíba, quinta-feira, 22 de agosto de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Corpos de paraibanas são encontrados em escombros de desabamento no Rio de Janeiro

Um irmão da vítima que mora no Rio e estava acompanhando as buscas entrou em contato com a família e comunicou.

Por Dennison Vasconcelos e Renata Nunes

11h52 - Atualizado 16/04/2019 às 13h35
Segundo os bombeiros, após o quarto dia de buscas, Ana Flávia e o filho, Fábio, continuam desaparecidos.
Segundo os bombeiros, após o quarto dia de buscas, Ana Flávia e o filho, Fábio, continuam desaparecidos. Foto: Divulgação/ Acervo Pessoal

O Corpo de Bombeiros encontrou mais quatro corpos, sendo três mulheres e um menino, na madrugada desta terça-feira (16) nos escombros dos dois prédios que desabaram na Muzema, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Até o início da manhã não havia informações sobre a identidade das vítimas. Contudo, por volta das 11h, os bombeiros confirmaram que entre as vítimas estão a paraibana Ana Flávia Pereira e Fábio, filho dela de três anos. Uma equipe do SBT Brasil confirmou que a criança foi encontrada abraçada à mãe.

Um irmão da vítima que mora no Rio e estava acompanhando as buscas entrou em contato com a família na Paraíba e fez o comunicado. Ao Portal T5Verônica de Cássia, irmã de Ana Flávia, revelou emocionada que ainda não há informações sobre velório. Nessa segunda-feira (15), o Portal T5 conversou com Valéria, moradora de Riachão, no Agreste paraibano. Ela falou sobre a angústia e da espera por notícias da irmã. Confira: "Ela falava que estava bem e não tinha perigo", diz irmã de paraibana desaparecida em desabamento no RJ

A outra mulher foi identificada como Ana Paula Rodrigues. Ela também era paraibana e estava grávida de quatro meses. A filha da vítima confirmou a informação.

De acordo com uma equipe do SBT Brasil, o corpo de Ana Paula será encaminhado para ser sepultado na cidade de São Sebastião do Rocha, Agreste paraibano.

O número de mortos na tragédia chegou a 15.

Mais vítimas da Paraíba

Entre as vítimas da tragédia no Rio de Janeiro estava o paraibano, de Serra Branca, Cláudio Rodrigues. Cláudio tinha 40 anos, era pastor e vice-presidente da associação de moradores da região. Ele morreu no hospital, após ser socorrido e sofrer duas paradas cardíacas. Sua esposa ficou gravemente, e permanece internada. Já a sua filha teve apenas escoriações e recebeu alta na tarde do mesmo dia.