Paraíba, domingo, 24 de março de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Advogados alegaram dificuldade para ter acesso à 6ª CIPM, onde Livânia Farias está detida

Secretária de Administração do Estado da Paraíba foi presa no fim da tarde deste sábado (16)

Por Carlos Rocha

21h31
Foto: Ewerton Corrêa - RTC

Os advogados responsáveis pela defesa da Secretária de Administração do Estado da Paraíba. Livânia Farias, alegaram dificuldade para acessar as dependências da 6ª Companhia Independente da Polícia Militar, em Cabedelo, na noite deste sábado (16). Livânia foi levada para o local após receber voz de prisão no Aeroporto Castro Pinto, na Grande João Pessoa.

Momentos depois, a defesa acessou as dependências da 6ª CIPM para acompanhar o procedimento. Livânia Farias realizou exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) e logo em seguida, seguiu para a 6º Companhia, onde deve permanecer à disposição da justiça.

A Secretária foi alvo da terceira fase da Operação Calvário, na última quinta-feira (14), onde foram cumpridos mandados de busca e apreensão em 10 endereços nas cidade de João Pessoa e Sousa. A operação investiga uma suposta organização criminosa responsável por desvios de recursos públicos em contratos firmados com o governo da Paraíba, entre eles, com a Cruz Vermelha, que administra o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

Da acordo com o advogado de Livânia, Sheyner Asfóra, o mandado de prisão seria cumprido no dia 14, ou seja, no mesmo dia em que houve cumprimento de uma mandados de busca e apreensão de computadores e outros documentos em casas nas cidades de João Pessoa e Sousa. O advogado informou que o mandado de prisão não foi cumprido na quinta-feira (14) porque ela estava em Belo Horizonte, em uma viagem com a família.

A decisão do desembargador Ricardo Vital de Almeida determinou ainda o sequestro de um carro de luxo e uma casa no município de Sousa, que estariam no nome da Secretária Livânia Farias.

Segundo o ex-assessor do Governo do Estado Leandro Muniz, que foi uma das pessoas que trouxe à tona as informações que deram início às investigações, a casa que fica no município de Sousa teria sido comprada com propina.