segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Busca

Paraíba

Paraíba

Suspeitos de saque em resort no Conde teriam recebido autorização de construtora, diz advogado

Nove pessoas foram levadas à delegacia, e oito delas confessaram a ação

Por Redação Portal T5

13h20 - Atualizado 08/11/2019 às 14h12
Policiais receberam uma denúncia de que havia pessoas roubando o estabelecimento
Policiais receberam uma denúncia de que havia pessoas roubando o estabelecimento Imagem: Reprodução/TV Tambaú

Em entrevista à TV Tambaú, o delegado Marcos Paulo revelou que os suspeitos de saquear o ponto de apoio de um resort no Conde, na Grande João Pessoa, utilizaram ao menos cinco veículos para efetuarem os roubos.

Segundo ele, a denúncia foi recebida no decorrer dessa semana, e quando a Polícia Militar chegou ao local, na praia de Tabatinga, conseguiu flagrar um grupo com cerca de 20 pessoas. No entanto, apenas nove foram presos, tendo oito deles confessado o crime.

“A PM recebeu uma denúncia de colaboradores da região dizendo que havia dezenas de pessoas nas dependências do ponto de apoio do resort dilapidando o patrimônio. A 1ª CIPM mobilizou quatro equipes de policiais e fizeram o cerco. Alguns conseguiram se evadir pela praia, e outros, que estavam nas dependências com 5 veículos, foram detidos. Outras pessoas que estavam nas dependências, mas não estavam roubando, não chegaram a ser conduzidas – havia em torno de 20, no total”, explicou.

Já o advogado dos suspeitos, Hermann Régis, argumentou que os acusados teriam recebido a informação da construtora supostamente responsável pela obra do resort de que as pessoas poderiam retirar os itens gratuitamente.

“Foi me passado que eles estavam na praia quando viram um grande número de pessoas entrando no estabelecimento, e tiveram a informação de que a empresa havia falido, não tinha pago a construtora e, por sua vez, a construtora tinha liberado para o pessoal tirar o material. Como são pessoas carentes, humildes, todos eles trabalhadores, viram a oportunidade de dar uma melhorada na casa. Alguns entraram lá para retirar algumas peças, e teria sido com autorização da construtora”, disse ele.

Resort emite nota

Na tarde desta sexta-feira (8), o Mussulo Resort By Mantra emitiu um comunicado oficial através de sua assessoria de imprensa esclarecendo os fatos. Na nota, a empresa afirma que, como também houve o furto de documentos relacionados ao setor de recursos humanos, foi reforçada a suspeita de participação de funcionários do hotel na ação criminosa. Leia abaixo:

"A direção do Hotel Mussulo Resort By Mantra, localizado no município do Conde, localizado a 26 km de João Pessoa, fez uma representação criminal junto à Polícia Civil da Paraíba, nesta quinta-feira, 7, contra criminosos, ainda não identificados, que invadiram o estabelecimento com o objetivo de furtar diversos equipamentos do hotel, tais como televisores, frigobares, camas, além de diversos objetos do condomínio.

Conforme a queixa prestada, além dos bens materiais os criminosos furtaram todos os documentos relativos ao setor de recursos humanos do Mussulo Resort, “no que comprova que a conduta ilícita foi direcionada também à tentativa de inviabilização da continuidade dos serviços que são prestados pelo estabelecimento”.

Ainda na representação criminal, segundo a direção do Mussulo, são fortes as suspeitas de envolvimento de funcionários graduados do Resort tendo em vista que obviamente não interessaria a criminosos comuns, a subtração de documentos administrativos. A direção do Mussulo entregou à polícia, um inventário completo discriminando todos os objetos e documentos roubados, além de um amplo acervo fotográfico do local.

Por fim, a direção do Hotel Mussulo By Mantra solicitou à autoridade policial que seja instaurado inquérito policial a fim de apurar os crimes cometidos e punir os responsáveis, inclusive com o pedido para que sejam ouvidos inicialmente os funcionários graduados do estabelecimento.

A direção do Mussulo lamenta que tais fatos tenham ocorrido num momento de recuperação da atividade econômica do país, e que, desde que se instalou na Paraíba em 2009 sempre foi reconhecido pelos serviços turísticos de excelência prestados aos seus hóspedes. Informa ainda que desde o ocorrido, suspendeu todas as reservas de hospedagens até que a situação seja normalizada.

Assessoria de comunicação"

Leia também:

Polícia cerca comunidade e prende suspeito de atuar no tráfico de drogas

8º Batalhão da PM do RN autorizou operação que terminou com policial paraibano morto