segunda-feira, 18 de novembro de 2019
Busca

Paraíba

Paraíba

João Pessoa apresenta segunda maior queda no preço da cesta básica entre capitais, diz DIEESE

Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos foi realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos

Por Carlos Rocha

16h08 - Atualizado 07/11/2019 às 13h21
Foto: Reprodução / Internet

Entre setembro e outubro de 2019, o custo do conjunto de alimentos essenciais, a cesta básica, aumentou em nove cidades e diminuiu em oito, de acordo com a Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) em 17 capitais, divulgada nesta quarta-feira (6).

+ Augusto Nunes e Glenn Greenwald trocam tapas durante entrevista ao vivo; assista

+ Irmão de Ivete Sangalo morre aos 54 anos em Salvador

As quedas mais importantes foram observadas em Natal (-3,03%) e João Pessoa (-2,34%). As altas mais expressivas foram registradas em Brasília, com aumento de 5,21%, seguidas de Campo Grande (3,10%) e Goiânia (1,12%).

A capital com a cesta mais cara foi São Paulo (R$ 473,59), seguida por Porto Alegre (R$ 463,24), Rio de Janeiro (R$ 462,57) e Florianópolis (R$ 458,28). Os menores valores médios foram observados em Aracaju (R$ 325,01) e Natal (R$ 341,90).

+ Dono da Havan suspende propagandas na Rede Globo

+ Estudante invade escola e atira em adolescentes em Minas Gerais 

Em 12 meses, entre outubro de 2018 e o mesmo mês de 2019, com exceção de Aracaju (-5,11%) e Fortaleza (-1,58%), todas as capitais acumularam alta, que oscilaram entre 1,76%, em Florianópolis, e 10,62%, em Goiânia.

Em 2019, 10 municípios pesquisados tiveram taxas positivas, com destaque para Vitória (6,06%) e Recife (5,57%). Outras sete cidades mostraram redução, a mais expressiva em Aracaju (-9,40%).

+ Petrobras vende Liquigás por R$ 3,7 bilhões

+ Bruno Gagliasso não renova contrato com a Globo

Com base na cesta mais cara que, em outubro, foi a de São Paulo, e levando em consideração a determinação constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para suprir as despesas de um trabalhador e da família com alimentação, moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e Previdência, o Dieese estima mensalmente o valor do salário mínimo necessário.

+ Após delação de Palocci, Polícia Federal faz operação contra lavagem e corrupção

Justiça determina que vereadores de Santa Rita devem responder processo em liberdade

Em outubro de 2019, o salário mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria equivaler a R$ 3.978,63, ou 3,99 vezes o mínimo de R$ 998. Em setembro de 2019, o piso mínimo necessário correspondeu a R$ 3.980,82, ou 3,99 vezes o mínimo vigente. Já em outubro de 2018, o valor necessário foi de R$ 3.783,39, ou 3,97 vezes o salário mínimo, que era de R$ 954.

Veja mais:

+ Divulgado edital de processo seletivo para Colégio da Polícia Militar

+ Policial morto durante ocorrência será homenageado pelo Governo da PB

+ Prefeitura de Cabedelo divulga concurso público com 276 vagas

+ Diário Oficial traz promoção de oficiais da Polícia Militar

Siga nosso Instagram Facebook e fique bem informado! 

Adicione nosso WhatsApp: (83) 9 9142-9330.