Paraíba, sexta-feira, 18 de outubro de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Governo federal convoca 111 famílias da PB para devolver R$ 172 mil para o Bolsa Família

Juntas, as famílias somam esse valor, que deve ser devolvido aos cofres públicos por terem sido pagos indevidamente

Por Carlos Rocha

14h20 - Atualizado 11/10/2019 às 15h08

Na Paraíba, 111 famílias paraibanas foram notificadas pelo Governo Federal para a devolução de cerca de R$ 172 mil. De acordo com o Ministério da Cidadania, esse valor foi pago indevidamente a essas pessoas. Juntas, as famílias somam esse valor, que deve ser devolvido aos cofres públicos. As pessoas que receberam a ajuda do governo irregularmente começaram a ser convocadas na última quarta-feira (9).

+ Fernando Collor é alvo de operação da PF contra lavagem de dinheiro

+ Mais de 1,5 milhão de pessoas ficam sem energia elétrica na Califórnia

O Ministério da Cidadania é responsável pelo Bolsa Família e informou que a estimativa é de que seja ressarcido aos cofres público aproximadamente R$ 5,8 milhões, que foram pagos indevidamente e todo país. Na primeira ação de cobrança de recebimentos indevidos, realizada em 2018, foi recuperado o total de um milhão de reais aos cofres da União.

+ Fenômeno raro no Nordeste é visto em cidades na Paraíba

+ Japão se prepara enfrentar gigantesco tufão Hagibis

Uma auditoria da Controladoria Geral da União (CGU) foi realizada e levantou as pessoas que estariam recebendo o benefício de forma irregular. A CGU fez o cruzamento de dados com o Tribunal de Contas da União (TCU). Foram identificadas informações irregulares no Cadastro Único para Programas Sociais. Foi constatado ainda que algumas pessoas tinham renda superior ao permitido para participar do programa.

+ Finalistas do ‘MasterChef: A Revanche’ vazam antes da estreia; Band tenta conter

+ Ex-Chiquitita visita praia naturista na PB e publica foto nua ao lado do marido

Estão sendo enviadas cartas com aviso de recebimento às famílias identificadas já com a Guia de Recolhimento da União (GRU) no valor previsto pelo governo federal. Os beneficiários têm até 30 dias para apresentar uma defesa ao Ministério da Cidadania.

+ Professor nina bebê para aluna fazer prova em faculdade de João Pessoa

+ RBD é tema de trabalho de conclusão de curso em universidade na PB

Caso a defesa não seja apresentada, os ex-beneficiários têm o mesmo período para pagar a guia. O não pagamento implica na inclusão do nome no Cadastro Informativo de Créditos não quitados do Setor Público Federal (Cadin) e no sistema de cobrança do Tribunal de Contas da União (e-TCE).

+ Sasha Dog: saiba como ativar o mais novo filtro de cachorro no Instagram

+ Casal é flagrado em momento íntimo pelo Google Maps