domingo, 17 de novembro de 2019
Busca

Paraíba

Paraíba

Cerca de 180 mil litros de água já foram usados pelos bombeiros para apagar incêndio de lixão na PB

Queimadas entraram no quarto dia e prejudicam a saúde dos moradores da cidade de Patos, no Sertão paraibano.

Por Redação Portal T5

07h25 - Atualizado 02/10/2019 às 16h57
Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros da Paraíba

Até a manhã desta quarta-feira (2), equipes do Corpo de Bombeiro utilizaram aproximadamente 180 mil litros de água na tentativa de apagar as chamas do incêndio que entra em seu quarto dia no lixão da cidade de Patos, no Sertão paraibano.

De acordo com o comandante do batalhão na região, este é o terceiro incêndio que atinge o ambiente em 2019.

Desde o último domingo (29), a fumaça incomoda os moradores do município e fez os atendimentos por problemas respiratório aumentarem no Hospital Regional Deputado Janduhy Carneiro, conforme a direção da unidade.

O problema recorrente para população do município é sanado de forma provisória com uso de um trator de esteira, que atualmente está em revisão. O secretário Silvio Moreira explicou que "a máquina está passando pela manutenção normal que acontece anualmente, e que logo será devolvida ao local, tendo em vista a necessidade urgente". A gestão informou que não sabe com exatidão as causas do incêndio, mas em nota disse acreditar que pode ser criminoso e irá apurar o caso.

Seca - O governador da Paraíba, João Azevêdo (PSB), decretou estado de emergência em Patos e mais 176 municípios atingidos pela estiagem no estado. A portaria argumenta que a estiagem está causando danos à subsistência e à saúde da população, além de gerar prejuízos as atividades produtivas, principalmente no tocante a agricultura e pecuária. A situação de emergência terá validade de 180 dias, com isso, o Governo do Estado fica autorizado a abrir crédito extraordinário para combater à seca, convocar voluntários para reforço das ações, além da dispensa de licitações para os contratos de aquisição de bens e serviços necessários às atividades de resposta ao desastre, locação de máquina e equipamentos, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação do cenário do desastre.

Veja mais:

Polícia apreende suspeito de estuprar criança de 6 anos, diz delegado