Paraíba, quarta-feira, 23 de janeiro de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Ambulantes admitem desordem no Centro de João Pessoa e buscam acordo com Prefeitura

MPPB recomendou a retirada dos ambulantes que ocupam irregularmente as ruas e calçadas da capital.

Por Dennison Vasconcelos

08h03 - Atualizado 11/01/2019 às 09h23
Trabalhadores informais ocupam calçadas e ruas do Centro de João Pessoa.
Trabalhadores informais ocupam calçadas e ruas do Centro de João Pessoa. Foto: Cristiano Sacramento / RTC

Após recomendação do Ministério Público da Paraíba de retirar os trabalhadores informais das ruas do Centro de João Pessoa, o Sindicato dos Ambulantes da capital revelou que pretende discutir um acordo com a Prefeitura da capital.

Ministério Público recomenda que prefeitura de JP retire ambulantes do Centro da cidade

A Associação dos Ambulantes e Trabalhadores em Geral da Paraíba (AMEG) admite que, atualmente, o espaço está desordenado. "Nós não concordamos do jeito que está, a Prefeitura não ordena o espaço e ele está abandonado. Não existem regras. Nós orientamos, mas não tempos poder de força para retirar algum trabalhador de calçadas pequenas ou áreas de acessibilidade para deficientes físicos, por exemplo", disse a presidente Márcia Medeiros.

Uma reunião com o novo secretário de Desenvolvimento Urbano (Sedurb), Zennedy Bezerra, está marcada para a próxima segunda-feira (14). A categoria deve propor opções durante a audiência. "Já agendamos a reunião e vamos dialogar, mas o que não vamos aceitar é a Guarda Municipal chegar com chicote na mão e impedir todo mundo de trabalhar. Se é para morrer de fome em casa ou morrer lutando, preferimos a luta", disse a representante da AMEG ao Portal T5.

Zennedy Bezerra informou que a Sedurb também está disposta a dialogar e entrar em acordo com as partes. "Assumi recentemente o órgão e fiquei sabendo da recomendação pela imprensa. Pretendemos conversar em conjunto com o Ministério Público e a representante dos ambulantes, essa é uma questão social e econômica. Já entrei em contato com assessoria jurídica e estamos avaliando a situação recomendada", disse.

Veja também:

Criminosos invadem delegacia e roubam arma, na Paraíba

Governo divulga calendário de inscrições para o Fies; confira