Paraíba, quarta-feira, 22 de maio de 2019
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Após passar 7 anos preso sem ser julgado, homem recebe habeas corpus na PB

Essa é a prisão sem julgamento de maior duração do estado da Paraíba

Por Carlos Rocha

22h17

Um homem recebeu alvará de soltura, nesta quinta-feira (27), após passar 7 anos preso sem ter sido julgado. Ele é suspeito de participar da morte de três turistas finlandeses, no ano de 2011, no Litoral Sul da Paraíba. O habeas corpus foi concedido a Francisco das Chagas Vasconcelos pela 5ª turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Essa é a prisão sem julgamento de maior duração do estado da Paraíba.

O sócio de Francisco, que tomava conta de uma das casas dos estrangeiros, no município de Conde, foi detido em São Paulo após o crime, enquanto se preparava para deixar o país. Com ele, a polícia encontrou cartões e procurações que davam a ele poder sobre as propriedades das vítimas. A justiça decretou então a prisão preventiva dos dois.

A defesa de Francisco alegou que não existem provas da participação dele no crime. Mesmo assim, o homem permaneceu preso durante sete anos. Uma série recursos pedidos pela defesa do outro suspeito, como a convocação de testemunha de outro país, contribuiu para a demora no processo o que levou a demora para a data do julgamento.

Os corpos das vítimas Pasi Kalervo Kaartinen, de 71 anos, Riitta Marjatta Kaartinen, de 68, e Sirpa Helena Tiihonen, de 60, foram encontrados por trabalhadores em um canavial na cidade de Alhandra, no dia 3 de dezembro de 2011. Segundo o delegado Rodolfo Santa Cruz, Francisco das Chagas seria o principal suspeito, mas a suspeita era que o crime tivesse sido cometido por mais de uma pessoa.

O homem precisará cumprir medidas cautelares, mas comemorou a liberdade. Ele lamentou ter perdido momentos em família, como o nascimento da neta.