Paraíba, segunda-feira, 22 de outubro de 2018
25° C
Busca

Paraíba

Paraíba

"Isso não é vida de ser humano", diz desabrigado após um mês da desapropriação no Bairro das Indústrias, em JP

Os ocupantes, agora em uma quadra esportiva, relataram que vivem no frio, na chuva e à espera de ajuda para comer.

Por Redação Portal T5

11h37 - Atualizado 12/08/2018 às 20h49
Fila para distribuição de um sopão na quadra esportiva no Bairros das Indústrias, em João Pessoa,
Fila para distribuição de um sopão na quadra esportiva no Bairros das Indústrias, em João Pessoa, Imagem/ Ingrid Feijó

Há um mês, cerca de 250 famílias ficaram desabrigadas após a operação de desapropriação realizada pela Polícia Federal (PF) no condomínio Vista do Verde, no Bairro das Indústrias, em João Pessoa.

Às 5 horas do dia 12 de julho, o empreendimento inacabado, construído pela Caixa Econômica Federal, no âmbito do Programa Minha Casa Minha Vida, ficou vazio para a conclusão das obras e, desde então, quem não teve para onde ir, tentou conseguir espaço em uma quadra esportiva localizada no mesmo bairro.

Um mês depois, a situação das famílias parece não ter mudado. Lençóis foram usados para dividir os espaços para cada grupo familiar. O alimento, para quem ainda não conseguiu emprego, é o mais difícil e urgente. "Estamos em uma situação muito precária. Muitas crianças aqui ainda não haviam comido hoje e, quando não temos o que dar, esperamos ajuda mesmo", disse um dos ocupantes do local, Thiago David, que recebeu um sopão .

Desapropriação no dia 12 de julho, em João Pessoa.
Desapropriação no dia 12 de julho, em João Pessoa. Imagem/ Amy Nascimento

A equipe de Reportagem da Rede Tambaú de Comunicação (RTC) esteve na quadra esportiva na manhã deste domingo (12) e observou a primeira refeição do dia daqueles moradores. Por volta das 10h, um grupo de caridade distribuiu um sopão para os desabrigados. "Todo mundo está comendo agora porque Deus mandou. Ele guarda, né? As crianças estão fazendo uma festa só por conta disso e é para comemorar mesmo, temos que agradecer", disse o morador.

Segundo Thiago, representantes da prefeitura foram ao local realizar o cadastro para um possível auxílio aluguel. "Eles nos deram um prazo de 15 dias para tentar ver a nossa situação. A esperança que temos é conseguir uma casa", disse.

Dia dos Pais - A data comemorativa para o ocupante daquele espaço público neste ano é preocupante. "Isso aqui não é vida de ser humano. Estamos no relento, com frio e chuva. As crianças e adultos estão ficando doentes, com vermes de animais no corpo. Doenças estão aparecendo", reclamou.

O pai de uma criança de cinco anos, neste dia pensou no presente para o filho: "Eu queria dar um ambiente melhor ao meu filho, dar uma vida melhor para ele. E digo isso não só por mim, mas por todos os pais que estão aqui, quem fica alegre em ver o filho nesta situação? Mas está vivo já é uma vitória, né?!", disse.