Paraíba, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
23° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Professores deflagram paralisação na rede estadual

Na capital paraibana, por exemplo, está agendada uma manifestação com os manifestantes.

Por Redação Portal T5

14h51
O ato é uma iniciativa da Central Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE)
O ato é uma iniciativa da Central Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) Foto: Reprodução / Metro Jornal

Está programada para esta sexta-feira (10) uma paralisação das atividades de professores da Rede Estadual de Ensino da Paraíba. De acordo com a Associação dos Professores de Licenciatura Plena da Paraíba (APLP) o ato acontece em aderência à uma mobilização nacional.

Homem é preso suspeito de tentar envenenar a mãe e mais cinco familiares, na PB

O ato é uma iniciativa da Central Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE) e deve acontecer em várias cidades do país. Na capital paraibana, por exemplo, está agendada uma manifestação com os professores que vão se reunir em frente ao Lyceu Paraibano.

Confira a nota da APLP:

Veja nota na íntegra:

A APLP (Associação dos Professores de Licenciatura Plena da Paraíba), aproveitando o chamamento da CNTE (Central Nacional dos Trabalhadores em Educação), para o dia de amanhã (sexta-feira, 10), renova reivindicações ao governador do Estado, Ricardo Coutinho (PSB), visando à consolidação de diversas conquistas em prol do magistério público estadual.

Será um dia, inteiro, de paralisação. E a APLP movimentará a categoria, não apenas em João Pessoa, mas em toda a Paraíba, onde houver subsedes de representação, como Patos, Sousa, Cajazeiras, Guarabira, Campina Grande e Princesa Isabel. Com os presentes, a entidade distribuirá panfleto contendo reivindicações como a Revisão e Atualização do PCCR da categoria, o descongelamento, imediato, das Progressões Horizontais e Verticais, o retorno da Ged/Feap e a publicações dos processos de aposentadorias, sem perdas salariais”.

Leia mais: STJ volta a negar recurso da defesa pela liberdade de Lula

Nordeste tem 18 milhões de devedores, diz CNDL