Paraíba, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
23° C
Busca

Paraíba

Paraíba

"Não existe justiça", diz pai de Luanna Alverga, assassinada há um ano em João Pessoa

O namorado da vítima, suspeito de realizar o crime, responde em liberdade desde agosto de 2017.

Por Redação Portal T5

08h41 - Atualizado 23/07/2018 às 13h00
Após a reconstituição do crime, a polícia concluiu que o tiro que matou Luanna não foi disparado acidentalmente.
Após a reconstituição do crime, a polícia concluiu que o tiro que matou Luanna não foi disparado acidentalmente. Imagem/ Reprodução/ TV Tambaú

O crime que tirou a vida de Luanna Alverga, de 20 anos, completa um ano nesta segunda-feira (20). A jovem foi morta com um tiro de espingarda na cabeça durante uma festa na casa da família do namorado, no bairro do Roger, na capital paraibana.

Na época, Yuri Ramos Coutinho Nóbrega, namorado da vítima, se apresentou como autor do disparo dito acidental. Em depoimento, o acusado disse que a namorada foi ao banheiro de um quarto que fica nos fundos da residência e ele a acompanhou. No local, Yuri pegou a arma para mostrar a jovem e, segundo ele, pensava que o objeto estava com defeito. Após investigações e a reconstituição do crime, a polícia concluiu que o tiro que matou Luanna não foi disparado acidentalmente.

Em agosto de 2017, um alvará de soltura foi expedido pela juíza titular do 2º Tribunal do Júri de João Pessoa pedindo a soltura do acusado. O jovem cumpriu prisão preventiva desde que se apresentou à delegacia até a decisão judicial.

Na manhã desta segunda, o repórter Cristiano Sacramento, da TV Tambaú, entrevistou Luiz Antônio, pai da vítima. "O sentimento é de impunidade, de injustiça. Nós estamos em um sofrimento total há um ano. Não existe justiça, não existe respeito aos nossos sentimentos", lamentou.

 O advogado de Yuri Ramos, Abraão Beltrão, informou que o processo está parado no Tribunal de Justiça esperando que o presidente aceite ou não o recurso especial. Esse recurso especial determina se a prisão de Yuri será decretada novamente ou não, tudo vai depender da decisão do juiz. O advogado informou que Yuri está em liberdade, mas cumprindo todas as medidas cautelares determinadas pelo juiz, como não sair à noite, por exemplo.

Confira a entrevista completa exibida no programa Tambaú Agora: