Paraíba, segunda-feira, 10 de dezembro de 2018
30° C
Busca

Paraíba

Paraíba

CRM investiga casos de agressões em hospitais públicos da Paraíba

Um diretor do órgão explicou que casos como esse são frequentes.

Por Redação Portal T5

13h00

O Conselho Regional de Medicina, na Paraíba, (CRM-PB) vai apurar o caso de agressão ocorrida na Unidade de Pronto Atendimento do bairro de Cruz das Armas, na noite desta segunda-feira (12). João Alberto Pessoa, diretor de fiscalização do CRM, explicou que casos como esse são frequentes e lembrou que não é a primeira vez que situações assim acontecem.

+ Vídeo: Caravelas voltam a aparecer nas praias da Paraíba

"O CRM desde 2016 vem empreendo esforços no sentido de fazer com que a Segurança Pública Estadual nos dê apoio nas unidades municipais. Apesar de inúmeras tentativas feitas junto à Secretaria de Saúde do Estado, até agora não consguimos obter essa condição e por isso acontecem essas situações", relatou.

+ Homem é preso acusado de estuprar duas crianças de 12 anos, na Paraíba

Relembre - Um paciente mordeu o pescoço de um médico na noite desta segunda-feira (12) na Unidade de Pronto de Atendimento (UPA) do bairro de Cruz das Armas, em João Pessoa. Segundo relato de testemunhas, o paciente, com a pressão arterial alta, foi conduzido por uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

+ Lava Jato: Chefe das delegacias especializadas e ex-secretário de Cabral são presos, no Rio

Os familiares estariam bastante nervosos e queriam acompanhar o paciente na área vermelha. "Eles também queriam interferir na medicação aplicada", explicou a delegada Lídia Veloso. A equipe da UPA teria informado que isso não poderia ocorrer.  A partir daí, começou a confusão e o médico teria sofrido uma mordida na região do pescoço.

+ PIS-Pasep libera pagamento a partir desta quinta-feira (15); saiba quem tem direito

"Levamos o paciente para o interior da Upa e o mesmo informou que também tinha sido agredido. O médico pediu para que fosse a situação fosse conduzida para a Central pois queria representar contra o suspeito, assim como o paciente também desejava", explicou um guarda municipal que atendeu a ocorrência.

Vítima e acusados foram levados para a Central de Flagrantes, onde foram ouvidos por uma delegada plantonista. Após os depoimentos, ambos foram liberados. O paciente foi autuado por lesão corporal. O nome de ambos não foi informado.

+ Globo cancela participação da Banda Magníficos no Faustão por vocalista ser do SBT