Paraíba, quarta-feira, 19 de dezembro de 2018
23° C
Busca

Paraíba

Paraíba

Vídeo: Paraibanos comentam passagem de furacão na Flórida

​Depois de provocar pelo menos duas mortes e destruir casas na região noroeste da Flórida, nos Estados Unidos, o furacão Michael foi rebaixado para tempestade tropical nesta quinta-feira (11).

Por Redação Portal T5

11h39

Depois de provocar pelo menos duas mortes e destruir casas na região noroeste da Flórida, nos Estados Unidos, o furacão Michael foi rebaixado para tempestade tropical nesta quinta-feira (11). As autoridades locais disseram que esta foi a tempestade mais violenta a atingir o estado em muitos anos.

Segundo informou o Centro Nacional de Furacões (NHC), o olho de Michael entrou em terra firme perto de Mexico Beach, a cerca de 30 km de Panama City, no início da tarde da quarta-feira (10) como um furacão de categoria 4 na escala de Saffir-Simpson (que vai de 1 a 5).

Já durante a madrugada, o fenômeno foi rebaixado para tempestade tropical, quando atravessava a Geórgia, mas ainda provocava fortes chuvas e ventos de 70 km/h. Michael agora se dirige para a Carolina do Sul e deve causar estragos também nos estados do Alabama e Carolina do Norte.

Mortes

A primeira morte foi registrada em Tallahasse, a capital do estado da Flórida. Segundo as autoridades locais, um homem morreu depois que uma árvore caiu sobre sua casa.

A segunda vítima é uma criança, que morreu depois que destroços caíram em cima de sua casa no Condado de Seminole, na Geórgia. Ainda não há muitos detalhes sobre o caso, já que as equipes de resgate ainda não conseguiram alcançar a região.

Devastação

Fotos e vídeos de Mexico Beach, uma comunidade de cerca de 1.000 habitantes, mostravam cenas de devastação absoluta. As casas pareciam flutuar no meio de ruas inundadas, algumas totalmente destruídas após terem perdido o teto.

Paraibanos na Flórida

Alguns paraibanos acompanharam a passagem do furacão Michel pela Flórida, mas de forma mais tranquila. É o que garante a designer Carla Pinheiro de Lima que está com a família passando férias em Orlando. Ano passado, no mês de setembro, ela presenciou a destruição deixada pelo furacão Irma.

“Estamos aqui há 10 dias e graças a Deus não tem nada parecido com a outra situação! Aqui nem alerta chegou! Estamos acompanhando tudo pela Tv e aqui em Orlando está bem tranquilo. O tempo mudou com chuvas e ventos, mas nada que assuste”, disse ao Portal T5.

"Está chovendo muito, mas não há sinal do furacão por aqui", relatou Fernanda Bell.

Luanna Kennedy, que também mora na região de Saint Petersburg, contou à reportagem que "só temos muita chuva e algumas áreas alagadas”.

Vídeos e fotos postados por moradores nas redes sociais mostram a destruição provocada pelos ventos e chuvas em cidades como Tallahassee e Panama City.

A temporada de furacões do Atlântico termina em 30 de novembro.