Paraíba, sexta-feira, 24 de maio de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Geral

Suspeito de ataque na Nova Zelândia era personal trainer que atendia crianças

Segundo as autoridades, um homem armado com um rifle começou a atirar sem parar, utilizando a internet para fazer uma transmissão ao vivo do massacre.

Por Redação Portal T5

11h00

O australiano Brenton Tarrant, de 28 anos, suspeito de ser o autor de ataques a tiros em duas mesquitas da Nova Zelândia nesta sexta-feira (15, noite de quinta no Brasil), trabalhou como personal trainer que atendia crianças de forma gratuita. As informações foram obtidas com pessoas próximas a ele ouvidas pelo site australiano ABC.

Pelo menos 49 pessoas morreram no ataque. A polícia prendeu quatro suspeitos, mas não confirmou se Tarrant é um dos detidos. O governo australiano disse que um cidadão de seu país foi preso na Nova Zelândia.

Tarrant teria sido o responsável por transmitir ao vivo, pelo Facebook, cenas de um ataque com armas a uma mesquita. Ele também teria publicado um manifesto de mais de 70 páginas em uma rede social, no qual se descreveu como "etnonacionalista e fascista".

Ele disse ainda ser "um homem branco comum, de uma família comum", que nasceu na Austrália em uma família trabalhadora e de baixa renda, além de ressaltar sua origem europeia. "As origens da minha língua são europeias, minha cultura, minhas crenças filosóficas, minha identidade é europeia e, mais importante, meu sangue é europeu", escreveu, apontando vir de uma linhagem de escoceses, irlandeses e ingleses.

O ataque

Duas mesquitas foram alvos de atentados nesta sexta-feira (15) na cidade de Christchurch, na Nova Zelândia. Os ataques aconteceram simultaneamente e deixaram pelo menos 49 pessoas portas e 20 feridas em estado grave nos hospitais do país.

As mesquitas são locais onde seguidores do islamismo professam sua fé. Uma delas, localizada na região de Linwood, foi o principal alvo, já que estava lotada de fiéis, com cerca de 300 pessoas. Segundo as autoridades, um homem armado com um rifle começou a atirar sem parar, utilizando a internet para fazer uma transmissão ao vivo do massacre.

O ataque aconteceu por volta das 13h30 (horário local) e 21h30 (horário de Brasília). Testemunhas informaram que o assassino utilizava capacete, óculos e um casaco de cores militar, e teria ocorrido 15 minutos seguidos de tiros. Ao mesmo tempo, uma mesquita localizada em Masjid Al Noor também teve registros de tiroteio.

A polícia prendeu ao menos quatro suspeito de participar dos ataques, sendo três homens – entre eles um australiano – e uma mulher. Porém, ainda existe a possibilidade de que outras pessoas estejam envolvidas nos atentados.

Todas as escolas da cidade foram fechadas assim que se teve notícia dos casos. As autoridades também orientaram para que todas as mesquitas da Nova Zelândia fossem fechadas temporariamente, por precaução.

Leia Também:

+ Câmera mostra exato momento do ataque à escola em Suzano

+ Atentados a duas mesquitas deixam quase 50 mortos na Nova Zelândia

+ Pabllo Vittar e Instagram lançam clipe com stories de fãs

+ Deputados criticam acesso a armas de fogo, após atentado em Suzano

+ Atiradores usaram arma medieval e revólver no atentado em Suzano

+ Facebook e Instagram ficam fora do ar no Brasil e em outras partes do mundo

+ Doria anuncia indenização de R$100 mil a familiares de vítimas de Suzano

+ Suzano: atingido por machado, aluno correu até hospital próximo à escola