Paraíba, domingo, 16 de junho de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Geral

Meningite meningocócica atinge principalmente as crianças; veja

Aproximadamente 40% dos que contraem a meningite ficam com sequelas

Por Lillyane Rachel

15h27 - Atualizado 01/03/2019 às 15h33

O pediatra Juarez Cunha, diretor da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), revelou que a meningite meningocócica é uma doença infecciosa bacteriana com letalidade de 20% que afeta mais as crianças, principalmente as com abaixo de 2 anos.

“As crianças sãos as principais vítimas porque são mais vulneráveis e ainda não dispõem do sistema imunológico completamente formado”, explicou.

A doença apresenta um progresso rápido, com sintomas de febre alta, dor de cabeça e dor no pescoço, que podendo levar à morte. Ela é transmitida por meio das vias respiratórias, gotículas e secreções do nariz e da garganta.

Aproximadamente 40% dos que contraem a meningite ficam com sequelas, de acordo com o pediatra. É comum haver a amputação dos membros, sequelas neurológicas e surdez. O tratamento é realizado com antibióticos e a maioria das pessoas se tratam e conseguem curar a doença.

O pediatra afirma que existem vários tipos de meningococo, a bactéria que causa a doença.

As doses de cada vacina dependem da idade. Na infância, normalmente, são várias doses.

"No caso da vacina contra meningite meningocócica C, o recomendado é uma dose aos 3 meses, outra aos 5 meses e um reforço com 1 ano de vida, de acordo com o pediatra. Ele ressalta a importância de outro reforço entre 11 e 14 anos. A vacina está disponível na rede pública até os 5 anos de idade. O adolescente que não foi vacinado na infância vai receber uma dose única”, explicou.

Ele disse ainda que a vacinação na fase adulta é para prevenir que não ocorra transmissão para a criança, já que são os principais alvos.

Quando um caso é diagnosticado, é realizada a profilaxia antibiótica com pessoas de seu convívio.