Paraíba, terça-feira, 23 de abril de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Geral

Inspirados na história de Eva Luana, jovens criam projeto para apoiar mulheres vítimas de violência

."É difícil a vítima ter consciência e coragem de denunciar. A mulher precisa ter todo o estímulo para levar o caso até o fim.”, disse uma integrante do projeto

Por Lillyane Rachel

14h18
Foto: Prefeitura de Jaraguá do Sul

A jovem Eva Luana da Silva, 21, compartilhou em postagens na sua rede social, o histórico de violência provocado pelo padrasto. Os relatos sensibilizaram e comoveram grande parte da população.

A partir disso, jovens de Jaraguá do Sul, em Santa Catarina, criaram um projeto chamado “Eva Bot”, a fim de facilitar as denúncias de abusos e violência contra mulheres.

Leia Mais:Delegada acredita que mulher espancada pode ter sido dopada

O mecanismo será através de um aplicativo de mensagens, disponível 24 horas por dia, para atender as solicitações de vítimas com casos abusivos.

As mensagens serão respondidas automaticamente e vão estar vinculadas a um banco de dados verificados por um mecanismo de colaboração com profissionais aptos em atender mulheres violentadas, como advogados e psicólogos.

Uma das integrantes do grupo Eva, Bruna Martins declarou: "Esta pauta (violência contra a mulher) sempre vai ser pertinente.”

Ela disse ainda que ao ler os depoimentos da jovem, ficou horrorizada e frustrada por saber que na primeira denúncia, a vítima foi coagita."É difícil a vítima ter consciência e coragem de denunciar. A mulher precisa ter todo o estímulo para levar o caso até o fim.” disse.

Nas pesquisas feitas pelo grupo, os jovens identificaram que as 73 mil denúncias de violência contra a mulher feitas ano passado no Brasil, representam somente 33% dos casos estimados.

Leia Mais: Tratamento para reconstruir o rosto de mulher espancada terá duração de seis meses

"Temos apoio de diferentes profissionais. Nosso objetivo é fazer provocar um tsunami de denúncias e ajudar as mulheres" disse a jovem.