Paraíba, quarta-feira, 21 de novembro de 2018
21° C
Busca

Esportes

Esportes

Maradona oferece recompensa para quem identificar autor de boatos contra ele durante a Copa

Ídolo do futebol vai pagar cerca de R$ 42 mil a quem indicar autores de áudios que o deram como morto durante a Copa da Rússia

Por Redação Portal T5

07h43

O ex-jogador Diego Maradona abraçou a causa contra as fake news. A decisão de encabeçar essa guerra foi tomada depois que o próprio Dieguito foi alvo das notícias falsas compartilhadas nas redes sociais.

Tudo começou quando, durante a Copa do Mundo, o ex-craque argentino virou alvo de boatos no WhatsApp. Durante a partida da Argentina contra a Nigéria, no estádio de São Petersburgo, Maradona dançou com uma jovem nigeriana, girou a camisa de seu time acima da cabeça e mandou mensagens tanto aos torcedores quanto aos jogadores.

No fim da partida, ele sentiu-se mal e precisou deixar o local amparado por amigos. A informação oficial indicava que o argentino tinha tido uma pico de pressão e que havia sido levado a um hospital.

Poucas horas mais tarde, contudo, áudios gravados por um homem não identificado com sotaque argentino ganharam força no WhatsApp e nas redes sociais informando que o ex-jogador havia sofrido uma parada cardiorrespiratória e morrido no hospital.

+ Nego do Borel dá beijaço em modelo em novo clipe

+ Golpe oferece passagens grátis da Gol no Facebook e WhatsApp: saiba mais

Era mentira e Maradona foi à TV para atestar isso.

“Pareço estar morto?”, perguntou o astro ao jornalista Víctor Hugo Morales, no programa "De la Mano del Diez", transmitido pela Telesur naquela noite. Maradona estava chateado: “Minha irmã me fez assobiar no telefone para saber que eu estava bem (...) Meu irmão, na Itália, meu sobrinho, nos Estados Unidos, se preocuparam… Notícia ruim é muito mais rápida do que a boa. A verdade é que estou bem. Faço exames periódicos”. E completou, mandando um recado “aos medíocres”: “Eu não posso torná-los bons”.

Maradona promete recompensa para quem identificar quem iniciou o boato. “Acabei de falar com meu escritório na Argentina e já dei a ordem de que tornem pública a decisão de dar uma recompensa de 300 mil pesos (cerca de R$ 42 mil) para quem fornecer dados precisos sobre a pessoa que armou os áudios”, disse Morla ao site Infobae. “Meu escritório consultou especialistas em tecnologia e é possível saber quem armou tudo. Por isso, precisamos que nos forneçam informações. Daí, a recompensa (...) Já está na hora de pensarem duas vezes antes de fazerem uma maldade dessas”.

+ Torcedor 'zoa' Neymar e trolla repórter do SporTV ao mesmo tempo; assista

+ Auxílio-moradia para juízes já custou mais de R$ 830 milhões aos cofres públicos em 2018