Paraíba, terça-feira, 17 de setembro de 2019
30° C
Busca

Esportes

Esportes

Segundo brasileiro identificado em vídeo assediando mulher na Rússia é tenente da Polícia Militar

O caso aconteceu no último fim de semana e as imagens estão circulando o mundo.

Por Cristiano Sacramento

14h55 - Atualizado 19/06/2018 às 14h59
As imagens mostram um grupo de homens rodeando uma mulher e pedindo para ela repetir um palavrão
As imagens mostram um grupo de homens rodeando uma mulher e pedindo para ela repetir um palavrão Foto: Reprodução / Internet

O segundo homem flagrado no vídeo postado nas redes sociais por um grupo de brasileiros foi identificado. As imagens que estão circulando o mundo e provocando muita indignação mostram a moça sendo assediada e ‘obrigada’ a dizer um palavrão. A Polícia Militar de Santa Catarina, confirmou que o segundo identificado é o tenente Eduardo Nunes, que serve em Lages (SC).

O primeiro ‘torcedor’ identificado é Diego Valença Jatobá, ex-secretário de turismo de Ipojuca, em Pernambuco. O caso aconteceu no último sábado (16).

Na Rússia, Sandra Annenberg passa mal e é atendida às pressas

Por meio de uma nota, o comando da PM catarinense informou que "abrirá um processo administrativo-disciplinar para apurar a conduta irregular do militar". O inquérito será instaurado logo após o retorno do policial que ainda está na Rússia.

Leia na íntegra:

"A corporação não corrobora com este tipo de atitude, que é incompatível com a profissão e o decoro da classe, previsto no Regulamento Disciplinar e no Estatuto da PMSC, independentemente de estar em período de férias, folga de serviço ou qualquer outra situação de afastamento, devendo, portanto, responder por suas atitudes", diz o comunicado da polícia.

Na segunda-feira (18) a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Pernambuco, emitiu uma nota de repúdio à ação dos brasileiros. O texto também é assinado pela presidente Ana Luiza Mousinho (da Comissão da Mulher Advogada). Segundo a instituição, a atitude “vai na contramão do atual contexto de luta contra a desigualdade de gênero”.

Veja também: Homem surta, destrói porta de loja e ‘come’ cartão de banco