Paraíba, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
26° C
Busca

Esportes

Esportes

Presidente do Campinense e ex-vice presidente do Botafogo-PB são banidos do futebol

Eles são suspeitos de manipular resultados no futebol local. Outros dirigentes e árbitros de futebol também foram punidos durante o julgamento

Por Redação Portal T5

16h54 - Atualizado 14/11/2018 às 18h19
William Simões e Breno Morais foram julgados e condenados pelo STJD
William Simões e Breno Morais foram julgados e condenados pelo STJD Foto: Montagem/Portal T5

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) decidiu nesta quarta-feira (14) banir do futebol o atual presidente do Campinense, William Simões, e o ex-vice presidente do Botafogo-PB Breno Morais por participação em um esquema de manipulação de resultados no futebol paraibano.

Em julgamento que aconteceu na sede do STJD, no Rio de Janeiro, a pena máxima também foi aplicada ao ex-presidente do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol da Paraíba (TJDF-PB) Lionaldo do Santos, ao ex procurador do TJDF-PB Marinaldo Barros, ao ex-presidente da Comissão Estadual de Arbitragem da Paraíba (Ceaf-PB) José Renato Soares e a nove árbitros paraibanos, que não poderão mais atuar profissionalmente.

Após as investigações da Polícia Civil e do Ministério Público da Paraíba (MPPB) na Operação Cartola, a Justiça entendeu que todos os citados são culpados, formariam uma organização criminosa que buscava manipular resultados no âmbito do futebol local.

Em abril desse ano, o então vice-presidente do Belo, Breno Morais, foi gravado em uma escuta telefônica dizendo ter medo de ser preso e que o trabalho deveria ser concentrado em livrá-lo da prisão. Ele também foi gravado no início do ano supostamente arquitetando a manipulação de resultados em favor do Botafogo-PB durante o Campeonato Paraibano 2018.

Além do banimento, Breno foi condenado ao pagamento de R$ 90 mil de multa. José Renato, por sua vez, foi multado em R$ 50 mil, enquanto Marinaldo e Lionaldo terão que pagar R$ 30 mil cada.

Outros três ex-dirigentes do clube de João Pessoa também foram punidos durante o julgamento. Ex-presidente da equipe, que deixou a gestão há poucas semanas, Zezinho Botafogo foi suspenso do futebol por 540 dias, da mesma forma que o ex-vice presidente Guilherme Novinho e o ex-diretor executivo de Futebol do Belo Francisco Sales. Todos eles terão que pagar ainda multas de R$ 30 mil cada.

Com relação ao ex-presidente da Federação Paraibana de Futebol (FPF) Amadeu Rodrigues, um dos denunciados na Operação Cartola pelo suposto esquema de manipulação de resultados, ele teve seu julgamento adiado para o dia 29 de novembro. O STJD considerou que Amadeu não teve tempo de enviar sua defesa à côrte, e por isso postergou a sessão.

Leia também:

Mais de 130 médicos cubanos devem deixar a Paraíba com o fim do Mais Médicos

João Azevêdo justifica ausência em reunião de governadores eleitos com Bolsonaro