Paraíba, quarta-feira, 26 de junho de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Economia

Mercado segurador brasileiro cresce 4,9% no primeiro quadrimestre

O resultado não inclui dados de saúde suplementar.

Por Redação Portal T5

13h59 - Atualizado 14/06/2019 às 13h59

O faturamento do mercado de seguros brasileiro totalizou R$ 81 bilhões no primeiro quadrimestre deste ano, revelando alta de 4,9% em comparação ao mesmo período do ano passado.

O resultado não inclui dados de saúde suplementar, que são disponibilizados a cada trimestre pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), nem do Seguro de Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Via Terrestre (Seguro DPVAT).

Com a inclusão de números do DPVAT, a arrecadação sobe para R$ 82,2 bilhões e o crescimento no quadrimestre fica em 3,2%, disse hoje (14) à Agência Brasil o diretor técnico e de Estudos da Confederação Nacional das Seguradoras (CNSEG), Alexandre Leal.

Tiveram forte expansão no acumulado deste ano até abril os ramos de seguros marítimos e aeronáuticos (52,5%), crédito e garantias (38,4%), patrimoniais (16,1%) e planos de risco em cobertura de pessoas (14,8%). Segundo Alexandre Leal, o comportamento dos setores este ano se mostra muito divergente.

"Enquanto os planos de risco em cobertura de pessoas tiveram incremento de quase 15%, os planos de acumulação, que envolvem PGBL e VGBL, ficaram praticamente no zero a zero". A queda no período janeiro a abril nos planos de acumulação alcançou 0,6%.

A principal diferença entre planos de seguro PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) e VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre) é o tratamento tributário. Enquanto o PGBL prevê redução do valor do imposto a pagar no momento da declaração anual do Imposto de Renda até o limite de 12% dos seus rendimentos brutos anuais, no VGBL não existe abatimento no IR. Em compensação, na hora do resgate, o imposto no VGBL é cobrado somente sobre o rendimento e não sobre o total resgatado ou recebido como aposentadoria. As informações são da Sul América Previdência.

Veja mais:

Na Justiça: pacientes ganham direito de remédios fornecidos por União, Estado e Prefeituras

Agência Brasil