Paraíba, terça-feira, 25 de junho de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Economia

Erro em preço faz camisa ficar 90% mais barata e loja esportiva tem estoque zerado

O artigo que custa R$ 199,90 teve que ser vendido por R$ 19,99

Por Carlos Rocha

14h48 - Atualizado 28/03/2019 às 14h51
Foto: Reprodução/ SW

Uma loja de material esportivo teve que vender camisas de goleiro do vasco com 90% de desconto por conta de um erro de digitação. O produto, que custa R$ 199,90 teve que ser vendido por R$ 19,99 pela ausência do zero e a vírgula colocada no lugar errado.

A confusão acabou beneficiando os consumidores do produto que acabaram tendo um gordo desconto. A camisa, que vem sendo muito procurada nas lojas, teve o estoque zerado em pouco tempo.

+ Servidor que multou Bolsonaro é demitido pelo IBAMA

+ Ana Hickmann é criticada na internet por foto com Bolsonaro: "Barbie Facista"

De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, o fornecedor deve informar de forma clara e correta o preço do produto. Quando há divergência nos valores anunciados, o consumidor pode optar por uma das alternativas previstas no artigo 35, que dispõe:

+ Ex-jogador do Real Madrid lembra ameaças a Ronaldinho Gaúcho: "Vou te mandar para o hospital"

+ Carlinhos Maia dá passo para reconciliação com mãe biológica: "Vou cuidar de você"

 
"Se o fornecedor de produtos ou serviços recusar cumprimento à oferta, apresentação ou publicidade, o consumidor poderá, alternativamente e à sua livre escolha:
 
I - exigir o cumprimento forçado da obrigação, nos termos da oferta, apresentação ou publicidade;
 
II - aceitar outro produto ou prestação de serviço equivalente;

+ Biografia de Anitta relata relacionamento abusivo com Thiago Magalhães

+ Bruna Linzmeyer diz que é cuidada por bruxa “desde os 11 anos”

 
III - rescindir o contrato, com direito à restituição da quantia eventualmente antecipada, monetariamente atualizada, e a perdas e danos".

Existem casos em que se constata claramente que houve engano na informação relativa ao preço, por ser ele incompatível com o produto anunciado. Nestas situações, não caberá a exigência do cumprimento à oferta, pois esse procedimento estaria em desacordo com o artigo 4º do Código de Defesa do Consumidor, que dispõe como um dos objetivos da política nacional das relações de consumo, a harmonização dos interesses entre fornecedores e consumidores, com base na boa fé e equilíbrio dessas relações.

Leia Também:

+ Produtora de açúcar e etanol abre vagas de estágio para Paraíba e Pernambuco

+ Cantor Leonardo aparece ao lado de desembargador que ofende juízas