quinta-feira, 28 de maio de 2020
Busca

Televisão

Televisão

"Nada justifica violência", diz Fernanda Albuquerque sobre dono de TV que sugeriu "apedrejar jornalistas"

A apresentadora endossou a nota de repúdio, emitida pela Rede Tambaú de Comunicação (RTC)

Por Carlos Rocha

15h59

A apresentadora Fernanda Albuquerque começou a edição desta sexta-feira (15) do programa Com Você comentando as declarações polêmicas do empresário Roberto Cavalcanti. O dono da afiliada da Record na Paraíba sugeriu que jornalistas e radialistas que divulgam o número de mortes por Covid-19 fossem "apedrejados". A declaração teve uma repercussão negativa a nível nacional e causou a manifestações de repúdio por partes de órgãos, empresas e personalidades.

Cidades do Litoral Sul da PB devem adotar providências para evitar colapso funerário

"Eu preciso confessar que jamais imaginaria falar sobre incentivo à violência aos jornalistas por parte de um empresário de comunicação. Estou falando da situação envolvendo o empresário Roberto Cavalcanti. Ontem durante uma entrevista em uma de suas rádios o empresário, ao criticar a divulgação dos números das mortes causadas pela covid-19, surpreendentemente sugeriu que jornalistas e radialistas fossem apedrejados", declarou a apresentadora.

Fernanda ressaltou que a missão do jornalista é trazer ao público informações, dando condições para que cada um forme a sua própria opinião. Para isso, o jornalismo profissional é imprescindível pela responsabilidade na análise e investigação dos fatos.

Ministério Público denuncia ex-governador Ricardo Coutinho por corrupção passiva

"Diariamente, profissionais de comunicação, como eu e tantos colegas que estão aqui, dedicam as vidas no cumprimento da missão, e qual é a nossa missão? É apurar, investigar, é informar e, dessa forma, contribuir para que você de casa possa formar sua própria opinião", disse.

Em defesa dos profissionais da comunicação, Fernanda afirmou que a categoria merece aplausos e não pedradas. Ressaltou ser um serviço essencial e que informação salva vidas, principalmente em um momento de pandemia.

Com alerta de chuvas para as próximas horas, Defesa Civil monitora áreas de risco em JP

"Em momentos como esse, que nós estamos vivendo, esse ofício se torna ainda mais importante. Inclusive nós estamos aqui porque a nossa profissão foi reconhecida como atividade essencial. O jornalismo nunca se calou diante de fatos importantes. A história mostra isso. O profissional que estava na guerra, permaneceu firme na ditadura e que ajuda todos os dias a construir uma nação mais justa, mais esclarecida, através de denúncias de corrupção, através de denúncias do mau uso do patrimônio público, que é dinheiro nosso. Então nada, absolutamente nada, justifica o incentivo à violência. E os aplausos que todos nós merecemos substituam as possíveis pedras. O que os profissionais de comunicação sim merecem", exclamou.

"Onde iremos parar", dispara governador da PB sobre saída de Ministro da Saúde

A apresentadora endossou a nota de repúdio, emitida pela Rede Tambaú de Comunicação (RTC), e disse que não há justificativa para qualquer incentivo à violência.

"A Rede Tambaú de Comunicação repudia qualquer incentivo à violência, defende o respeito aos jornalistas, a todos os profissionais da área e ao jornalismo profissional. Nós estamos vivendo tempos difíceis demais e nós sabemos que a informação qualificada opiniões importantes salvam vidas", finalizou.

Leia também: Delegado pede no MP busca e apreensão de cachorros vítimas do "desafio da farinha"

Siga o Instagram Facebook do Portal T5 e fique bem informado! 

Adicione o WhatsApp do Portal T5: (83) 9 9142-9330.