Paraíba, sexta-feira, 22 de junho de 2018
18° C
Busca

Diversão

Televisão

Condenado por racismo, Paulo Henrique Amorim comenta caso de Waack

A “reportagem da semana”, de 11 minutos, também ouviu Robson Cordeiro, amigo de Pereira, que o ajudou a divulgar o vídeo, e militantes negros, que criticaram Waack.

Por Redação Portal T5

07h13 - Atualizado 13/11/2017 às 07h14

O “Domingo Espetacular” dedicou a sua “reportagem da semana” ao jornalista William Waack, apresentador do “Jornal da Globo”, afastado de suas funções depois que comentários seus de cunho racista vazaram em um vídeo. Sem apresentar nenhuma novidade, nem emitir opiniões contundentes, o programa da Record apenas resumiu o caso.

Por ironia,  a reportagem foi anunciada por Paulo Henrique Amorim, um dos apresentadores do programa. Em 2015, Amorim foi condenado por injúria racial a Heraldo Pereira, da Globo, a quem chamou, em texto em seu site pessoal, de “negro de alma branca”.

O jornalista Paulo Henrique Amorim foi condenado por crime de injúria racial pela 3ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal. A pena de  1 ano e 8 meses de prisão, foi substituída por restrição de direitos. A decisão foi tomada no dia 20 de junho de 2013.

Em 2009, o apresentador da Record publicou no site "Conversa Afiada" que o jornalista Heraldo Pereira (TV Globo) era "negro de alma branca" e que não conseguiu revelar nada além de ser "negro e de origem humilde". A primeira instância da Justiça do Distrito Federal tinha negado a ação, mas o Ministério Público recorreu.

Reportagem na Record 

O vídeo no qual Waack conversa com Paulo Sotero, em Washington, antes de entrarem ao vivo no “Jornal da Globo” foi reproduzido, com legendas, pelo “Domingo Espetacular”. O som não é perfeito, mas dá para ouvir Waack reclamar do motorista que buzina ao fundo: “Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar, porque eu sei quem é… é preto. É preto!”.

A revista dominical entrevistou Diego Pereira, o operador de TV que afirma ter presenciado o comentário de Waack, em novembro de 2016. “Diego não acreditou no que ouviu”, informou a repórter. Pereira repetiu, basicamente, as informações que já havia dado a respeito – de que se sentiu ofendido com os comentários do jornalista da Globo e que várias pessoas ao seu lado, no estúdio da emissora, em São Paulo, ouviram tudo e não fizeram nada.

A “reportagem da semana”, de 11 minutos, também ouviu Robson Cordeiro, amigo de Pereira, que o ajudou a divulgar o vídeo, e militantes negros, que criticaram Waack. O “Domingo Espetacular” lembrou, ainda, que três atores da Globo, Cris Vianna, Bruno Gagliasso e Lázaro Ramos, comentaram criticamente o episódio.

Veja também:

-Vídeo com comentário racista do jornalista William Waack vaza e choca internautas; assista

-Após afastamento de Waack, internautas pedem Maju no Jornal da Globo

- Rachel Sheherazade defende William Waack e diz que ele foi alvo da “armadilha dos coleguinhas invejosos”

Com informações do Uol