segunda-feira, 30 de novembro de 2020
Busca

Portal T5

Brasil

Em breve, 200 milhões de celulares poderão captar qualquer rádio FM no país; saiba mais

A informação foi discutida em reunião entre o Ministro das Comunicações e representantes da Associação Brasileira de Rádio e Televisão (ABERT)

Por Carlos Rocha

18h45 - Atualizado 22/09/2020 às 20h52
Flávio Lara Resende, presidente  da ABERT, ao lado de André Vajas, da RTC
Flávio Lara Resende, presidente da ABERT, ao lado de André Vajas, da RTC Foto/Divulgação

O encontro do Ministro das Comunicações, Fábio Faria, com presidentes das Associações  Estaduais de Rádio e Televisão, ocorreu na tarde desta terça-feira (22), em Brasília. O principal ponto discutido foi a celeridade do Governo Federal para a implantação da obrigatoriedade de chips de recepção de rádios FM  em todos os celulares do país.

A pauta já foi autorizada pelo presidente Jair Bolsonaro para que o governo trabalhe no sentido de promover a medida. A intenção é que, o mais breve possível, os 200 milhões de aparelhos tenham capacidade de captar o sinal de rádios através do chip.

"Nada mais justo que a gente possa dar, tanto para o setor, mas em primeiro lugar, para o cidadão, o rádio no celular, para que as pessoas não precisem comprar dados nem precisem entrar no 3G ou no 4G. Em muitos lugares, as pessoas perdem o sinal de celular, ou não têm o sinal de celular. Nós só temos hoje 79% da população brasileira com acesso à internet, então são 43 milhões de brasileiros (sem acesso à internet). Com isso, nós iremos entrar em mais de 200 milhões de celulares, para que todos possam escutar sua rádio. Rádio é o cotidiano local, em muitas cidades é o único meio de informação ali", afirmou o Ministro.

Representando a Associação das Emissoras de Radiodifusão da Paraíba (ASSERP), o vice-presidente, André Vajas, reforçou a importância dessa iniciativa em um momento de pandemia, no qual os meios de comunicação e o jornalismo profissional contribuem como ferramentas imprescindíveis de informação qualificada ao cidadão.

“Nesses tempos tão dramáticos para nosso país e para o mundo, a importância do rádio e da televisão ganha dimensão, fruto dos seus alcances, amplitudes e responsabilidades sociais, sendo acessíveis a todos os brasileiros e tendo grande penetração em todas as regiões do país”, pontuou Vajas que também é superintendente da Rede Tambaú de Comunicação (TV Tambaú-SBT, Jovem Pan João Pessoa, Nova Brasil FM Maceió e Portal T5). Na Paraiba, a ASSERP possui 54 afiliadas.

No almoço com os representantes de 11 associações estaduais, também estiveram presentes o presidente da ABERT, Flávio Lara Resende e o Secretário de Comunicação Social, Fábio Wanjgarten.

Atualmente só é possível um ouvinte captar o sinal das rádios através de pacotes de dados via internet, o que acaba impossibilitando a maioria dos cidadãos de ouvir o veículo por causa dos custos gerados. A campanha oficial será lançada em território nacional na próxima sexta-feira (25), data em que se comemoram os 98 anos do rádio.

A data lembra o nascimento de Roquete Pinto, considerado o “Pai do Rádio Brasileiro”. A primeira transmissão radiofônica no Brasil aconteceu no dia 7 de setembro de 1922, na comemoração do centenário da independência brasileira.

Na oportunidade, também foram tratados os temas como migração AM/FM, os 70 anos da televisão comemorado no último dia 19 de setembro e outros assuntos gerais de interesse do setor.

A ABERT, que em 27 de novembro completa 58 anos, representa mais de três mil emissoras privadas de rádio e televisão do país.