sexta-feira, 07 de agosto de 2020
Busca

Portal T5

Brasil

Fotos obscenas: Igreja investiga denúncias contra freis no DF

Arquidiocese confirmou que acompanha o caso, ocorrido em Paróquia de Ceilândia

Por Carlos Rocha

18h30 - Atualizado 31/07/2020 às 17h45

Após a repercussão do caso dos freis Hoslan Guedes e Alex Nuno, suspeitos de trocar mensagens pornográficas com fiéis adolescentes da Paróquia São Marcos e São Lucas, em Ceilândia, a Arquidiocese de Brasília se pronunciou sobre o assunto. O administrador diocesano, dom José Aparecido Gonçalves de Almeida, publicou uma nota em que noticia a abertura de uma investigação canônica.

“As recentes notícias veiculadas por vários meios de comunicação sobre supostos abusos de menores resultaram no comprometimento do bom nome da Paróquia São Marcos e São Lucas sita na Ceilândia, com grave escândalo para os fiéis e pessoas de bem”, inicia a nota da Arquidiocese.

“Em vista disso, o Ministro Provincial da Província de São Maximiliano Maria Kolbe da Ordem dos Frades Menores Conventuais, que tem o cuidado pastoral da referida Paróquia, houve por bem abrir uma investigação canônica conforme as orientações da Santa Sé para estes casos”, continua o texto assinado por dom José.

As denúncias foram feitas por jovens e familiares, reveladas pelo Metrópoles, após publicações feitas em redes sociais com fotos das telas de celulares. Nas postagens, fiéis expuseram prints de supostas conversas dos freis com as vítimas. Nos diálogos, há nudes, filmes pornográficos, mensagens invasivas e assédio.

Os religiosos, da Ordem dos Frades Menores Conventuais, preferiram ficar em silêncio durante o depoimento na 19ª Delegacia de Polícia, e apresentaram, por meio de advogados, uma defesa por escrito. O Vaticano chegou a mandar dois representantes para obter informações sobre o inquérito, mas a PCDF decidiu não informar detalhes.

Confira a matéria completa no Metrópoles, parceiro do Portal T5