quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020
Busca

Portal T5

Brasil

Em última sessão, Raquel Dodge faz discurso em defesa da democracia

Na fala de despedida como PGR, no Plenário do STF, Dodge pediu que a sociedade e o judiciário estejam alertas às pressões contra a democracia

Por Redação Portal T5

06h12

Raquel Dodge participou, nesta quinta-feira (12), pela última vez, da sessão plenária do Supremo Tribunal Federal como procuradora-geral da República, e fez um discurso duro em defesa da democracia.

"Permaneçam atentos a todos os sinais de pressão sobre a democracia liberal. No Brasil e no mundo, surgem vozes contrárias ao regime de leis, ao respeito aos direitos fundamentais e ao meio ambiente sadio também para as futuras gerações", declarou Dodge, aos ministros do STF.

Celso de Melo, o ministro mais velho do Supremo, elogiou a atuação de Dodge e disse que o Ministério Público Federal não serve para o interesse político individual.

"O Ministério Público não serve a pessoas. O Ministério Público não serve a grupos ideológicos. O Ministério Público não se subordina a partidos políticos. O Ministério Público não se curva à onipotência do poder ou aos desejos daqueles que o exercem, não importando a elevadíssima posição que tais autoridades possam ostentar na hierarquia da República", afirmou o ministro.

Raquel Dodge deixa o mandato de dois anos na próxima terça-feira (17). Ela foi a primeira mulher à frente da PGR.

Para substituí-la, o presidente Jair Bolsonaro escolheu o subprocurador-geral Augusto Aras, que não figurava na lista tríplice eleita pela categoria. Aras ainda será sabatinado pelo Senado, antes de assumir o cargo.

Veja mais:

Pacientes confirmados com sarampo em João Pessoa passaram por Recife e São Paulo

SBT