Paraíba, quarta-feira, 18 de setembro de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Brasil

Deputada Tábata Amaral diz processar ministro da Educação por danos morais

Parlamentar acusa Abraham Weintraub de constrangimento ao divulgar o número de telefone dela em um material

Por Redação Portal T5

19h41 - Atualizado 22/05/2019 às 19h43

A deputada federal Tábata Amaral (PDT-SP) afirmou, nesta quarta-feira (22), que vai entrar com um processo por danos morais contra o ministro da Educação, Abraham Weintraub, por distribuir um material com o número pessoal da parlamentar.

Weintraub compartilhou com deputados supostos comprovantes de que havia convidado Tábata para reuniões com o MEC em ao menos três oportunidades. Porém, segundo ela, além do “constrangimento” em ter divulgado o seu número de telefone e os da sua equipe, os convites, feitos em conversas no WhatsApp, teriam acontecido ainda durante o mandato de Ricardo Vélez Rodriguez, antigo chefe da pasta.

A fala da deputada acerca do episódio aconteceu durante sessão na Comissão de Educação da Câmara dos Deputados, na presença, inclusive, do próprio ministro da Educação.

“Eu queria só começar dizendo que nesse momento estou entrando com um processo por danos morais contra os senhor, por distribuir uma comissão pública com prints com meu número pessoal e da minha equipe com mentiras – o que é pior. Isso é um constrangimento, não é uma atitude de um ministro. Eu tenho vergonha de estarmos aqui, eu cobrando um planejamento estratégico, falando de coisa sérias, e o senhor me responder com isso. É falta de maturidade”, disse Tábata.

A parlamentar também se posicionou posteriormente, após a repercussão do caso, em uma publicação no Twitter.

“Cobrei planos e ações do MEC. O ministro respondeu divulgando meu telefone pessoal e tentando manchar a minha imagem e a da minha equipe. Usou dos mesmos mecanismos que emprega com os problemas da educação: polemiza e mente. Isso não é atitude de ministro”, escreveu ela.

O ministro Abraham Weintraub ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Leia também:

Delegado fala sobre suposta ameaça de atentado em escola de Campina Grande

Vídeo mostra momento do ataque que deixou três mortos em igreja evangélica, em MG