Paraíba, terça-feira, 23 de julho de 2019
30° C
Busca

Portal T5

Brasil

Secretário municipal de Santos, em SP, tem áudio racista vazado: "Pardos brasileiros são mau-caráter"

Em nota, Antônio Durante Filho informou que áudio é antigo, e disse que foi "levado pela emoção" a fazer os comentários

Por Redação Portal T5

21h45
Antonio Durante Filho é secretario-adjunto de Turismo de Santos e conselheiro do Santos FC
Antonio Durante Filho é secretario-adjunto de Turismo de Santos e conselheiro do Santos FC Foto: Reprodução

Vazou nesta quinta-feira (18) um áudio de Adilson Durante Filho, secretário-adjunto de Turismo de Santos, no litoral de São Paulo, em que ele faz comentários com teor racista.

Na gravação, que começou a circular nas redes sociais e causou bastante revolta, Durante fala sobre pardos e mulatos brasileiros, dizendo que todos eles são “mau-caráter”.

Técnico do Santos, Jorge Sampaoli tem bicicleta furtada em frente à agência bancária

"Aqui a gente está entre amigos. Sempre que tiver um pardo, o pardo o quê que é? Não é aquele negão, né?, mas também não é o branquinho. É o moreninho da cor dele. Esses caras – você tem que desconfiar de todos, de todos que tu conhecer. Essa cor é uma mistura, é, duma raça que não tem caráter. É verdade, isso é estudo. Todo pardo, mulato, [você] tem que tomar cuidado. Não mulato tipo o Pedro. Ele é tipo para índio, tipo chileno, essas porr*. Tô dizendo o mulato brasileiro, entendeu? Os pardos brasileiros. São todos mau-caráter. Não tem um que não seja", diz ele.

Além de ter o cargo na Prefeitura Municipal de Santos, Durante também é conselheiro do Santos FC. Em nota, ele assumiu a autoria do áudio, que seria antigo, e disse também ter sido “levado pela emoção”. Confira o comunicado na íntegra:

"Com relação a um antigo áudio de alguns anos atrás que circula nas mídias sociais, de minha autoria, gostaria de expor que, em um momento de infelicidade e levado pela emoção, em decorrência de um fato que muito me abalou, acabei me expressando de forma absolutamente diversa das minhas crenças e modo de agir. Jamais tive a intenção de atingir quem quer que seja, até porque assim me manifestei em um pequeno grupo de supostos amigos de WhatsApp.

Consigno que não tenho qualquer preconceito em razão de cor, raça ou credo, pois minha criação não me permitiria ser diferente. Peço, humildemente, desculpas a todos que se sentiram ofendidos, e expresso, por meio deste comunicado, meu mais profundo arrependimento quanto às palavras genericamente proferidas."

Prefeito de Santos também se pronuncia

O atual prefeito de Santos, Paulo Alexandre Barbosa, condenou os comentários considerados racistas do secretário-adjunto, chamando o caso de "lamentável". Ele informou que Durante pediu licença não-remunerada da Prefeitura para esclarecer o acontecimento.

"Como prefeito, afrodescendente, cidadão, filho de ex-engraxate de sapato de origem humilde, manifesto, com veemência, repúdio à qualquer manifestação que defenda ou propague preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação, independentemente dos meios, circunstâncias ou período de tempo que ocorra. Sempre será e deve ser absolutamente condenada.

O funcionário da prefeitura envolvido no lamentável caso que se tornou público, sr. Adilson Durante Filho, reconheceu o grave erro, pediu desculpas, se retratou publicamente e está ciente da sua responsabilidade e das possíveis consequências desse ato cometido na esfera de sua vida privada. Ele pediu licença não remunerada de suas funções para que possa prestar os esclarecimentos devidos decorrentes da sua manifestação.

A situação administrativa do funcionário está suspensa, com prejuízo dos vencimentos, e permanecerá assim durante todo o período de seu afastamento."