TV Tambaú
Jovem Pan
Nova Brasil Maceió
º
sem energia

Apagão deixa Argentina e Uruguai sem energia

A falha fez com que fossem ativadas as proteções das usinas hidrelétricas, que saíram de operação

Por Redação Publicado em
Programas de regularização de dívidas podem evitar corte do serviço.
Programas de regularização de dívidas podem evitar corte do serviço. (Foto: Divulgação)
Imagem: Reprodução/ Internet

A Argentina e o Uruguai enfrentam um apagão de grandes proporções neste domingo (16).
"Uma falha maciça no sistema de interconexão elétrica deixou toda a Argentina e o Uruguai sem energia", informou a distribuidora Edesur.

A empresa, que atende as províncias do sul do país e Buenos Aires, disse que a falha teve origem "em uma conexão de transporte de eletricidade entre as centrais de Yacyretá e Salto Grande".

A falha fez com que fossem ativadas as proteções das usinas hidrelétricas, que saíram de operação.

De acordo com a Secretaria de Energia da Argentina, "às 7h07 houve o colapso do Sistema Argentino de Interconexão (SADI), que produziu uma queda de energia em todo o país e que também afetou o Uruguai".

Alejandra Martínez, porta-voz da distribuidora argentina Edesur, disse que o restabelecimento do sistema estava em curso e que demoraria cerca de seis horas.

Por volta das 15h, o presidente Mauricio Macri informou que 50% dos usuários estavam com a energia restaurado. "Nas próximas horas, teremos voltado ao normal em todo o país."

Macri acrescentou que as causas ainda estavam sendo avaliadas e o governo ainda fala em "erro técnico" na estação de Yaciretá.

Segundo o ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico), o apagão não teve reflexos no Brasil.
Apesar de a Argentina ter tido apagões com frequência, nos picos de alto calor ou muito frio, este é o mais abrangente e mais longo dos últimos 20 anos.

Em províncias do Norte da Argentina, o apagão começou mais cedo, às 5h, e ainda é quase total.

Buenos Aires chegou a ficar completamente sem luz, mas a energia começou a ser reestabelecida no final da manhã. O fornecimento foi normalizado nos bairros 9 de Julio, Chacarita, Constitución, Flores, Liniers, San Telmo e Recoleta.

Houve confusão na cidade, com pessoas buscando restaurantes com energia -o Dia dos Pais é comemorado no domingo no país, e chove muito em Buenos Aires.

A UTE (Administração Nacional de Usinas e Transmissões Elétricas) do Uruguai afirmou que a falha na rede argentina deixou todo o território uruguaio sem luz. De acordo com a empresa, uma parte do sistema de alta tensão já voltou a funcionar e o serviço também está sendo restaurado no país.

Segundo a Edesur, a hipótese mais provável é que apagão teria ocorrido por um "desequilíbrio entre a energia entregue e a alta demanda". No inverno, os argentinos utilizam muita energia para seus sistemas de calefação, e o governo realiza campanhas incentivando o uso moderado dos sistemas, para evitar apagões.

O subsecretário de Operações de Proteção Civil da Argentina, Daniel Russo, disse à imprensa local que hospitais públicos não foram afetados por possuírem geradores -os que não possuem teriam os pacientes transferidos.

Em Buenos Aires, os bairros mais afetados eram Caballito, Villa Crespo, Palermo, Núñez e Belgrano. Ezeiza operava com normalidade por volta das 11h, com geradores.

O apagão também preocupa por atrapalhar o calendário eleitoral - há eleição regional nas províncias de Formosa, San Luis, Santa Fé e Terra do Fogo. O início da votação chegou a ser adiado, mas foi reestabelecido.

A Argentina, com 44 milhões de habitantes, e o Uruguai, com 3,4 milhões, compartilham um sistema interconectado de energia elétrica, centralizado na usina binacional de Salto Grande, localizada a cerca de 450 km ao norte de Buenos Aires.

BUENOS AIRES, ARGENTINA (FOLHAPRESS)



Relacionadas