Paraíba, quinta-feira, 13 de dezembro de 2018
26° C
Busca

Portal T5

Brasil

​Laudo indica que facadas no pescoço foram a causa da morte de jogador Daniel

O corpo do atleta foi encontrado em um matagal no dia 27 de outubro. Sete suspeitos estão presos

Por Redação Portal T5

15h31
Daniel tinha 24 anos e teve passagens por grandes clubes brasileiros
Daniel tinha 24 anos e teve passagens por grandes clubes brasileiros Foto: Marcello Zambrana/AGIF

Um laudo divulgado nesta quinta-feira (22) pelo Instituto Médico Legal (IML) e pela Polícia Científica do Paraná indicou que o meia Daniel, cujo corpo foi encontrado em um matagal na cidade de São José dos Pinhais no dia 27 de outubro, morreu por conta de facadas no pescoço.

Daniel tinha 24 anos e era jogador de futebol com passagens por equipes como São Paulo, Botafogo e Coritiba. Antes de ter sido achado morto, ele estava atuando pelo São Bento, clube paranaense que disputa a Série B do Brasileirão no momento.

O parecer também mostrou que o atleta foi carregado por no mínimo duas pessoas no trajeto entre o carro em que houve o transporte e o matagal. Segundo a perícia, a afirmação pode ser feita porque foram observadas lesões dorsais, torácicas e na coxa da vítima.

O corpo de Daniel foi encontrado bastante mutilado, com a cabeça parcialmente degolada e o pênis cortado. No entanto, o laudo diz que não é possível ter certeza se a mutilação aconteceu antes ou depois de o atleta falecer.

Suspeitos estão presos

Os suspeitos do crime são Edison Brittes Júnior, sua esposa e sua filha, Cristiana e Allana Brittes, respectivamente. Os três estão presos temporariamente desde o fim de outubro. O homicídio aconteceu na madrugada após a festa de aniversário de Allana Brittes.

Em depoimento à polícia, Edison confessou que matou Daniel e afirmou que praticou o ato sozinho, justificando que cometeu o crime porque o jogador teria tentado estuprar Cristiana, durante a comemoração do aniversário na casa da família.

Além do trio, outras quatro pessoas também estão presas, acusadas de participação no homicídio: Eduardo Purkote, Eduardo da Silva, Ygor King e David Willian. Os três teriam ajudado Edison a levar a vítima para o matagal e matá-lo, segundo a Polícia Civil.

Leia também:

Justiça nega pedido de liberdade de Cristiana Brittes, acusada de assassinar jogador Daniel

Caso Daniel: suspeito deu pêsames à família com celular de homem morto

Assassino teria convidado Daniel para ter relações sexuais com sua mulher, diz testemunha