Paraíba, segunda-feira, 18 de dezembro de 2017
31° C
Busca

Diversão

Gente famosa

Aos 70 anos, "Aracy da Top Therm" revela desejo de desfilar no carnaval

Há mais de 20 anos anunciando na TV, a loia ganhou fãs pelo Brasil

Por Carlos Rocha

00h17

Todo mundo que assiste televisão já viu ou ouviu a Aracy Wolf, ou Aracy da Top Therm, falar sobre “a melhor iogurteira do Brasil” em diferentes programas de televisão. São mais de vinte anos anunciando diariamente em programas.

Aracy ultrapassou os 70 anos, mas aparenta ter bem menos idade. A loira sempre  foi adepta de plásticas. “Fiz plástica há dez anos. Coloquei silicone, fiz as pálpebras e nariz. Dois anos depois, dei uma puxadinha de leve aqui na altura do maxilar”, revelou ela em entrevista para portal IG.

Quem a vê quietinha, não imagina que ela tem o sonho de desfilar no carnaval. “Meu marido vai me matar por falar isso, mas já disse que se um dia ele não me pagar uma fantasia linda para eu desfilar no carnaval e eu morrer antes dele, volto para puxar o pé dele. É meu sonho pisar naquela avenida”.

E sobre ser rica, ela afirma: “Ultimamente temos investido em imóveis e viagens. E passear para mim tem que ser com a família, com as quatro filhas, os genros e os sete netos. Por mim, morava todo mundo aqui nesse apartamento ainda”. Aracy mora com Gerhard M Wolf em um apartamento luxuoso em São Paulo.

Fãs

Muitos nem imaginam, mas vários programas de televisão contam com fãs assíduos, que fazem questão de mostrar o seu amor nas redes sociais. No entanto, em um desses casos, um fã do programa “Casos de Família”, do SBT, foi além.

Além de ganhar uma festa de aniversário totalmente inspirada na atração comandada por Christina Rocha, Allan Castro também tinha o sonho de conhecer Aracy, que faz propaganda da Top Therm em várias atrações, inclusive no vespertino da emissora de Silvio Santos. Acabou conhecendo a loira no palco da atração vespertina do SBT e se emocionou bastante.

A voz

“O que não gosto é desrespeito. Ninguém é obrigado a gostar de mim e é só um minuto que a pessoa tem que me aguentar no ar, então se não quiser me ouvir, muda rapidinho. Minha voz é uma voz bem diferente, uma voz de taquara rachada, mas minha marca registrada. Aprendi a gostar e usar bem ela”.