Paraíba, quarta-feira, 22 de novembro de 2017
21° C
Busca

Portal T5

Brasil

Saiba quais são os tipos de alucinações mais comuns nos seres humanos

As mais frequentes são as auditivas e as visuais.

Por Redação Portal T5

01h00 - Atualizado 13/11/2017 às 16h52
Imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa Foto: Reprodução/Internet

Embora as alucinações possam manifestar-se através de qualquer um dos cinco sentidos (audição, visão, tato, olfato e gustação), as mais frequentes são as auditivas e as visuais. As alucinações auditivas podem ser elementares (ruídos, silvos, zumbidos, etc.) ou complexas (figuras, cenas, etc.). As visuais podem também ter diferentes complexidades. Podem, inclusive, criar figuras inexistentes na realidade, através da combinação de elementos existentes. Assim, por exemplo, um avião pode aparecer com quatro patas ou um peixe pode aparecer voando.

Geralmente os doentes atribuem um sentido delirante às suas alucinações. As vozes que escuta, por exemplo, são interpretadas como sendo a voz do demônio, de Deus, dos espíritos, etc.

Alucinações auditivas: podem aparecer sob forma de sons, vozes que transmitem ordens, diálogos, comentários sobre atos do paciente, críticas, injúrias e difamações sobre a pessoa que alucina ou sonorizar o pensamento do próprio paciente. Na maioria das vezes o conteúdo das vozes é desabonador, acusatório, infame e caluniador. Quando elas sonorizam seu pensamento, o paciente costuma alegar que pensa em voz alta. Outras vezes tem a impressão de que as vozes comentam seus atos: "ele levantou-se da cadeira", "ele ligou a televisão", etc. Algumas vezes as vozes podem dar ordens ao paciente, o qual as obedece mesmo contra sua vontade, situação de certo perigo, já que, em geral, essas ordens são eticamente condenáveis.

Alucinações visuais: são percepções visuais errôneas, não corrigíveis pela argumentação lógica. O objeto alucinado pode ou não ter uma forma definida: clarões, chamas, raios, vultos, sombras ou pessoas, monstros, demônios, animais, santos, anjos, bruxas ou constituírem uma cena, como, por exemplo, ver palhaços dançando no meio da rua, etc. Em alguns casos, como no  dos alcoólatras, elas em geral representam pequenos animais andando sobre o corpo, dando origem à grande ansiedade. Uma situação especial ocorre quando o paciente se vê fora de seu próprio corpo. Chama-se a isso de alucinação autoscópica.

Alucinações táteis: as alucinações táteis se dão principalmente nas psicoses tóxicas e nas delirantes crônicas. No  ou na dependência de cocaína, o paciente sente que pequenos animais caminham sobre sua pele, bem como tem a impressão de experimentar pancadas, alfinetadas, queimaduras, etc. Chama-se de alucinações cinestésicas quando se referem a sensações sobre a corporalidade (o corpo está aumentando ou diminuindo de tamanho ou se deformando, o fígado está se desfazendo, seus intestinos estão apodrecidos, o cérebro está esvaziado e assim por diante) e de cenestésicas, quando se referem a movimentos (o corpo está oscilando, o braço levantou-se, a parede está se movendo, etc.).

Alucinações olfativas e gustativas: em geral as alucinações olfativas e gustativas estão associadas e são raras. Estados delirantes cujo tema diz respeito à putrefação podem estar associados a gostos e odores desagradáveis. Elas podem também ocorrer em algumas auras epilépticas.

Com informações de ABC Med.